Partilhar

Aspirina aborta mesmo?

Por Sara Viega. Atualizado: 19 julho 2018
Aspirina aborta mesmo?

Embora existam muitas buscas na internet relacionadas ao efeito abortivo da Aspirina, as evidências científicas não apresentam dados factuais relacionados a este efeito, mas sim às complicações que o consumo de Aspirina pode provocar na gravidez, sobretudo no últimos três meses. Aspirina aborta mesmo? Neste artigo o umCOMO explica o porquê desta dúvida existir, assim como as perguntas sobre as combinações de Aspirina e chá de canela, Aspirina e Coca Cola e fórmulas do gênero. Entenda porque a AS deve ser evitada na gravidez mas não deve ser usada como método de abortivo.

Também lhe pode interessar: Chá de boldo aborta?

Aspirina aborta mesmo?

Não há indícios comprovados de que Aspirina aborte. Apesar de não ser restrito, o consumo da Aspirina não é recomendado durante a gravidez por conter como principal componente o ácido acetilsalisílico, cujas principais complicações podem aparecer quando o medicamento é consumido nos últimos três meses de gravidez.

Aspirina aborta com 1 mês?

Não. Nos primeiros 4 meses da gravidez a Aspirina ainda é considerado um medicamento de risco C para gravidez. Os medicamentos de risco C são aqueles cujos estudos não são suficientes para afirmar que há perigos reais para o feto mas que já houve indícios. Dentro desta categoria se afirma que os medicamentos de risco C na gravidez podem ser consumidos caso o benefício do remédio justifique o potencial risco na gravidez, mas devem ser evitados.

Isso quer dizer que a Aspirina em pequenas doses durante a gravidez não oferece alto risco de aborto. Quanto maior a dose, maior o risco de problemas como má formação e intoxicação por superdose, reações que não são diretamente relacionadas ao aborto . O ideal é que a Aspirina na gravidez seja tomada sempre sob acompanhamento médico ou quando não há outra alternativa de medicamento para febre e dor de cabeça.

Aspirina no último trimestre da gravidez

Na bula da Aspirina[1] ela é especificamente contraindicada no último trimestre da gravidez. De acordo com a bula da Aspirina, no último trimestre de gravidez (a partir do 6º mês de gestação) a Aspirina é considerada um medicamento de risco D, produtos em que há provas de perigo para fetos humanos e só devem ser utilizados em situações em que nao há outra alternativas e os riscos ao feto e benefícios à paciente já tenham sido avaliados por um médico.

Consta no folheto da Aspirina que o ácido acetilsalisílico pode justificar as seguintes complicações:

Feto:

  • Intoxicação que causa problemas nos pulmões (toxicidade cardiopulmonar);
  • Problemas nos rins.

Gestante e criança no fim da gravidez:

  • Aumento do sangramento pelo afinamento do sangue;
  • Trabalho de parto prolongado devido à inibição das contrações uterinas.

Outros medicamentos em: Grávida pode tomar Dorflex?

Quem está amamentando pode tomar Aspirina?

Quanto à lactação, é sabido que alguns componentes da aspirina podem passar para o bebê através do leite. No entanto em casos pontuais não há problemas em amamentar após tomar um Aspirina. A exceção vai para casos de dosagem alta ou uso regular do medicamento. Um médico deverá ser consultado e é possível que a lactância tenha de ser temporariamente interrompida.

Em caso de suspeita de gravidez é preciso informar o médico, assim como na bula da Aspirina também se desaconselha o consumo deste e outros medicamentos que contenham ácido acetilsalisílico por quem esteja tentando engravidar.

Sugestão: Café com canela aborta? Efeitos e contraindicações

Principais dúvidas sobre Aspirina e aborto - Mitos e verdades

A dúvida quanto a Aspirina e sua função abortiva aparece principalmente em fóruns de pesquisas online. Esclarecemos agora as perguntas mais comuns relacionadas ao tema:

Aspirina 500 mg aborta?

Não. Apesar de a Aspirina fazer parte da lista dos remédios que abortam, ela pode ser encontrada em diferentes dosagens e não há evidências de que a fórmula de 500 mg aborte. Mesmo assim, ela é contraindicada no último trimestre e desaconselhada em suspeitas de gravidez e nos primeiros meses pelos mesmos riscos citados anteriormente neste artigo.

Aspirina efervescente aborta?

Não, as evidências são inexistentes. Entretanto, a Aspirina C, também conhecida como Aspirina efervescente, deve ser evitada nos primeiros e últimos três meses da gravidez pelos possíveis efeitos colaterais do ácido acetilsalicílico que são os mesmos da Aspirina em comprimido: intoxicação e disfunções renais no feto e aumento do sangramento e trabalho de parto para a mãe, de acordo com a bula[2].

Aspirina com Coca Cola aborta mesmo?

Não existe nenhuma evidência ou relato que comprove os efeitos abortivos dessa combinação. O mesmo vale para a pergunta se 'Aspirina com café aborta' ou Aspirina com chá de arruda e Aspirina com chá de canela. Sugerimos a leitura deste artigo para que você entenda se existem chás que abortam imediatamente.

Quantos comprimidos de Aspirina abortam?

Uma vez que não existam evidências concretas do efeito abortivo da Aspirina, não se pode falar na quantidade de compridos de Aspirina que aborta. O que são conhecidos são os efeitos da superdose da Aspirina seja para gestantes ou não.

Segundo a bula, uma superdosagem de Aspirina pode causar:

  • Respiração acelerada (taquipneia e hiperventilação);
  • Transpiração excessiva (diaforese);
  • Enjoos e vômito;
  • Febre alta (hiperpirexia);
  • Asfixia e paradas respiratórias;
  • Arritmia e parada cardíaca;
  • Desidratação;
  • Insuficiência renal;
  • Surdez;
  • Úlcera;
  • Convulsões.

Em caso de intoxicações, a Bayer, fabricante da Aspirina, recomenda ligar para 0800 722 6001 para orientações. Procure um médico sob qualquer sinal de intoxicação.

Entenda: Como funciona o aborto no Brasil

Contraindicações da Aspirina

Além de suspeitas de gravidez e gestantes, a Aspirina também é contraindicada para os seguintes casos e grupos:

  • Pessoas que têm hipersensibilidade ao ácido acetilsalisílico e outros componentes do remédio;
  • Histórico de asma induzida;
  • Úlceras agudas;
  • Insuficiência renal;
  • Insuficiência hepática;
  • Insuficiência cardíaca;
  • Tratamentos com anticoagulantes;
  • Suspeita de dengue;
  • Suspeita de gravidez;
  • Gravidez (com ênfase para os 3 primeiros e 3 últimos meses de gestação).

Leia sempre a bula antes de consumir qualquer medicamento.

Consulte: Como tomar Aspirina

Alternativas à Aspirina durante a gravidez

Para não correr o risco, recomenda-se evitar a Aspirina durante a gestação. O Paracetamol é uma alternativa, ainda que a consulta a um médico seja o mais indicado. Quem é adepta dos tratamentos naturais para casos leves pode tentar baixar a febre com banhos ou remédios caseiros para a dor de cabeça como infusão de camomila e óleo essencial de lavanda.

Confira algumas alternativas à Aspirina durante a gravidez:

Como aliviar a dor de cabeça e febre na gravidez

O ideal é sempre consultar o médico, mas enquanto você não é atendida você pode usar algumas alternativas:

  • Paracetamol;
  • 2 a 3,5 litros de água por dia;
  • Compressas e banhos de água fria;
  • Descanso em um ambiente escuro e sem ruídos;
  • Infusão de camomila ou de hortelã.

Leia também: Como aliviar a dor de garganta na gravidez

Este artigo é meramente informativo, no umCOMO não temos capacidade de receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Aspirina aborta mesmo?, recomendamos que entre na nossa categoria de Saúde Familiar.

Referências
  1. http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=23283922016&pIdAnexo=3915276
  2. http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=25996832016&pIdAnexo=4095479
Bibliografia
  • http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=23283922016&pIdAnexo=3915276
  • http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=25996832016&pIdAnexo=4095479

Escrever comentário sobre Aspirina aborta mesmo?

O que lhe pareceu o artigo?
3 comentários
Ângela
Como tomar ciclo 21
A sua avaliação:
kelsey
Como aborta com aspirina? Fui estrupada e a minha gravidez, ta sendo uma das piores coisas da minha vida, nao tenho condiçao de cuidar e nem onde criar meu filho ou filha
Julia Latorre (Editor/a de umCOMO)
Oi, Kelsey. Sinto muito pela situação. Quanto ao estupro, é muito importante que você faça uma denúncia o quanto antes. Quando a mulher sofre violência sexual, engravida do criminoso e não quer ter o filho. É preciso, antes do processo, passar por um exame de corpo de delito, assistência social e psicológica. O aborto legal, nessa situação, só pode ser realizado se a gravidez não passou da 21ª semana ou se o feto pesa menos que 500 g.

Neste artigo sobre como funciona o aborto no Brasil explicamos o que pode ser feito: https://saude.umcomo.com.br/artigo/como-funciona-o-aborto-no-brasil-26777.html
A sua avaliação:
keyula
como abortar com aspirina

Aspirina aborta mesmo?
Aspirina aborta mesmo?

Voltar ao topo da página