Partilhar
Partilhar em:

Causas do lábio leporino

Causas do lábio leporino

O lábio leporino é um defeito congênito, ou seja, é de nascimento e é mais frequente do que possa pensar. Além disso, costuma estar acompanhado de outro problema relacionado: a fenda palatina. Estes problemas ocorrem pelo desenvolvimento incompleto das partes afetadas, ou seja, no caso do lábio leporino observa-se uma fissura no lábio superior e no caso da fenda palatina podemos ver uma fenda ou abertura neste, fazendo com que haja uma comunicação direta entre a cavidade bucal e nasal. Se quer saber mais sobre esta condição congênita, continue lendo este artigo do umCOMO em que lhe vamos explicar quais são as causas do lábio leporino, entre outras informações.

Também lhe pode interessar: Causas da doença do beijo

Principais causas do lábio leporino

O lábio leporino e a fenda palatina ocorrem durante os primeiros meses de gestação, momento em que tanto o paladar como o lábio se unem e, ao haverem reações genéticas ou ambientais que interfiram nesta união, pode acontecer não haver uma união completa destas partes. Sendo assim, pode acontecer um bebê nascer com lábio leporino, com a fenda palatina ou com ambos os problemas.

Este problema que ocorre no nascimento é mais frequente em bebês latinos, asiáticos e nativos americanos mas, embora tenha um grande fator genético, pode acontecer em bebês de qualquer origem, uma vez que existem mais fatores que dão origem a este problema de saúde. Maioritariamente, trata-se de uma combinação de genética e fatores ambientais, sobretudo a ingestão de álcool, tabaco e certos medicamentos contraindicados durante a gravidez e que, por isso, afetam o feto.

Além disso, como esta condição do lábio leporino tem uma relação direta com a genética, se houverem antecedentes familiares que tenham sofrido desta condição, então o bebê tem mais probabilidades de sofrer dela também.

Problemas secundários ao lábio leporino

Além de saber as causas do lábio leporino, deve ter em conta que esta condição não afeta apenas a aparência física, mas também apresenta outros problemas relacionados ou secundários:

  • Dentes desalinhados.
  • Infecções do ouvido frequentes.
  • Fissura labial que pode chegar até à base do nariz.
  • Forma do nariz alterada.
  • Úvula dividida em duas ou bífida.
  • Fenda palatina.
  • Problemas para se alimentar bem.
  • Dificuldades para aumentar de peso.
  • Fluxo de leite através do nariz ao mamar.
  • Atrasos no crescimento.
  • Complicações no desenvolvimento da fala.
  • Problemas para ouvir bem.

Tratamento para o lábio leporino

Felizmente estes dois problemas relacionados com o paladar e o lábio superior dos bebês podem ser diagnosticados com uma ecografia durante a gravidez e, desta forma, pode se preparar para tratar o problema e resolvê-lo. O tratamento baseia-se em uma cirurgia de reconstrução do lábio e/ou do paladar se este também estiver afetado, extraindo tecido das mucosas das laterais da boca e usando-o para reconstruir as partes necessárias. No entanto, há ainda a possibilidade de mais para a frente ter que fazer outra cirurgia, dependendo sempre da gravidade do problema inicial.

Desta forma, consegue-se melhorar a qualidade de vida e saúde do pequeno, evitando-se que os problemas continuem aumentando e ocorram complicações no crescimento e desenvolvimento, além de ser também uma solução estética. Se está procurando imagens do lábio leporino para conhecer bem o aspeto deste problema e quais são os resultados desta intervenção, na foto poderá ver o lábio leporino antes e depois da cirurgia.

Esta intervenção costuma ser feita entre os 12 e os 18 meses de idade do pequeno. Mas em alguns casos em que os médicos e cirurgiões considerem que é melhor, é provável que se realize uma operação antes do bebê nascer.

Possíveis complicações e prognóstico

Um dos problemas principais é a dificuldade de se alimentar corretamente, pois é possível que o bebê afetado tenha problemas para sugar bem o leite materno. Além disso, a fenda palatina faz com que o leite vá diretamente para a cavidade nasal. Por este motivo, engasgam-se com facilidade e podem ocorrer problemas no desenvolvimento do crescimento.

As crianças que nascem com esta condição têm mais chances de ter problemas de audição e inclusive de perder a audição. Isto porque há uma tendência para acumular líquido nos ouvidos, porque as trompas de eustáquio neste caso não podem drenar bem o líquido que deve ir do ouvido médio até à garganta.

O médico irá explicar-lhe como deve usar os dispositivos que existem para o ajudar na alimentação de crianças com este problema e, indicará o que é melhor fazer para facilitar o crescimento e o bom desenvolvimento em todos os aspetos, inclusive quando é o momento de realizar uma intervenção.

Se a criança afetada tiver que ser submetida a uma cirurgia, na maioria dos casos a recuperação é relativamente rápida e satisfatória. Pelo que rapidamente se poderá alimentar bem e continuar com um bom crescimento. Além disso, mais para a frente poderá ser necessário consultar um odontologista e, muito provavelmente ser necessário usar um aparelho de dentes. Da mesma forma, também se deve consultar um otorrinolaringologista para fazer exames ao ouvido, para detetar a tempo possíveis problemas que possam surgir.

Dependendo de qual for a gravidade do problema inicial, o momento em que se decidiu operar e como for a recuperação, pode ser necessário que a criança tenha que consultar um fonoaudiólogo para resolver problemas de fala.

Este artigo é meramente informativo, no umCOMO não temos capacidade de receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Causas do lábio leporino, recomendamos que entre na nossa categoria de Doenças e Efeitos Secundários.

Comentários (0)

Escrever comentário sobre Causas do lábio leporino

O que lhe pareceu o artigo?

Causas do lábio leporino
1 de 3
Causas do lábio leporino