menu
Partilhar

Como é a evolução progressiva primária da esclerose múltipla

Por Nelia Oliveira. Atualizado: 16 janeiro 2017
Como é a evolução progressiva primária da esclerose múltipla

A esclerose múltipla é uma doença inflamatória desmielinizante do sistema nervoso central de evolução crônica. A esclerose múltipla pode evoluir em: surto-remissões, secundariamente progressiva e primariamente progressiva. Neste artigo de umComo explicamos melhor como será a evolução primariamente progressiva.

Também lhe pode interessar: Quais os sintomas da esclerose múltipla
Passos a seguir:
1

A evolução primariamente progressiva representa aproximadamente 15% dos casos.

2

Esta forma clínica apresenta-se em pacientes que iniciam a doença tardiamente.

3

Instala-se insidiosamente e piora de forma progressiva e sem interrupções em um período de tempo de 1 ano.

4

Não existem surtos nem remissões, embora a intensidade dos sintomas possa variar ligeiramente.

5

As lesões predominam a nível medular e clinicamente manisfestam-se por um transtorno da marcha com paraparesia espástica e distúrbios urinários.

6

A evolução é lenta, por vezes sob a forma de um síndrome espinocerebelar no qual se devem descartar as causas infeciosas, compressivas, etc.

7

Esta forma clínica pode estabilizar-se ao longo de anos de evolução.

Este artigo é meramente informativo, no umCOMO não temos capacidade de receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como é a evolução progressiva primária da esclerose múltipla, recomendamos que entre na nossa categoria de Doenças e Efeitos Secundários.

Conselhos
  • A esclerose múltipla é uma doença crônica que deve ser controlada por um médico.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?
1 comentário
Norma. caponi Bertoluci
A esclerose multipla PP,pode levar a pessoa a nao andar mais?

Como é a evolução progressiva primária da esclerose múltipla
Como é a evolução progressiva primária da esclerose múltipla

Voltar ao topo da página