menu
Partilhar

Como reconhecer um episódio maníaco

Como reconhecer um episódio maníaco

O episódio maníaco se caracteriza por um estado de ânimo eufórico, expansivo e inadequado para a situação. Como diz seu nome, é um episódio, e portanto não é permanente, mas dura pelo menos uma semana. Geralmente, o início do primeiro episódio maníaco aparece aos 30 anos de idade, mas também existem casos onde aparece durante a adolescência e inclusive após os 50 anos. Tem um início repentino, após o qual cada um dos sintomas vai se acentuando com grande rapidez em um breve espaço de tempo. O tempo de duração pode ser de algumas semanas e inclusive meses e sua finalização também ocorre de forma abrupta. A seguir, mostramos-lhe como reconhecer um episódio maníaco.

Também lhe pode interessar: Como reconhecer sintomas catatônicos
Passos a seguir:
1

Sintomas que o acompanham. Para poder determinar que se trata de um episódio maníaco, além do humor irritável, anormal e expansivo, deve ter pelo menos 3 dos seguintes sintomas que descrevemos a seguir: aumento da autoestima ou grandiosidade, linguagem verborreia, fuga de ideias, distração, agitação psicomotora e realização excessiva de atividades prazerosas.

2

Estado de ânimo. Ele se caracteriza por ser anormalmente bom, alegre e eufórico. As reações apresentadas perante diversas situações costumam ser exageradas e fora de lugar. A pessoa tende a estabelecer relações interpessoais, sexuais e trabalhistas com excessiva confiança e de forma indiscriminada. Por exemplo, trata seus colegas de trabalho com confiança excessiva e conta tudo o que aconteceu em sua vida sem filtrar a informação em função do interlocutor. A irritabilidade, no entanto, é o estado de ânimo predominante.

3

Autoestima. A pessoa que passa por um episódio maníaco costuma ter uma autoestima exageradamente elevada. Não só costuma se considerar a si mesmo como alguém importante mas também carece de qualquer autocrítica. Se sente uma pessoa com habilidades únicas, dotada de qualidades especiais. É por isso mesmo que ela costuma se considerar um especialista em certos temas que vão desde criar uma obra maestra até como dirigir uma organização mundial.

4

Insônia. Uma das características mais notáveis de pessoas que passam por um episódio maníaco é a queda na capacidade de dormir. Costuma acordar várias vezes durante a noite, ou acordar antes da hora habitual. Nos casos mais graves a pessoa inclusive pode permanecer dias sem dormir sem que isso apareça refletido em sua conduta diária. Este transtorno do sono, no entanto, não vem acompanhado de uma diminuição da energia.

5

Linguagem. A pessoa que passa por um episódio maníaco costuma ter uma linguagem verborreia, difícil de interromper. Costuma falar sem parar, dificultando a comunicação, já que o interlocutor se sente impedido de fazer comentários. Seu discurso costuma estar acompanhado de excessiva gestualidade que acompanha cada uma das palavras que vai dizendo.

6

Fuga de Ideias. Este sintoma caracteriza-se pelas mudanças contínuas de ideias, sem prévia finalização do assunto anterior. Esta dificuldade para manter a coerência na comunicação reflete a dificuldade interna que a pessoa tem para organizar suas próprias ideias. Os pensamentos costumam ser mais do que aqueles verbalizados.

7

Distração. Tem a ver com a extrema sensibilidade aos estímulos ambientais. Costuma se distrair facilmente com o que acontece à sua volta, apresentando grandes dificuldades para discriminar entre os estímulos que merecem ser atendidos e os que não. Por exemplo, pode estar trabalhando e deixar de fazê-lo para centrar sua atenção na cor de sua caneta e, por este motivo, deixa de fazer o que estava fazendo.

8

Agitação psicomotora. Tem a ver com o aumento dos impulsos e comportamentos sexuais. Costuma fazer diversas atividades ao mesmo tempo, sem considerar a responsabilidade que implica assumir esses compromissos. Ao mesmo tempo, costuma se relacionar de forma indiscriminada com pessoas que mal conhece sem considerar as consequências que este ato possa ter. Costuma ter uma série de condutas que acabam sendo inapropriadas, como por exemplo, compras excessivas, dirigir de forma temeraria, fazer investimentos pouco confiáveis, etc.

9

Vida quotidiana. As características mencionadas anteriormente conduzem inevitavelmente a uma deterioração da vida social, trabalhista e familiar. Em muitos casos é necessária a hospitalização da pessoa durante este período. Em todos os casos é necessária a realização de um tratamento adequado, que muitas vezes implica o uso de medicamentos para tratar estes sintomas.

Este artigo é meramente informativo, no umCOMO não temos capacidade de receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como reconhecer um episódio maníaco, recomendamos que entre na nossa categoria de Saúde Mental.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?
2 comentários
Sara
Olá Valdina muito obrigada pelo seu comentário :) Continue seguindo as nossas novidades!
Valdina Queiroz
Seus artigos são ao mesmo tempo originais e verdadeiros. Nunca vi coisa igual! Este, por exemplo: episódio maníaco é perfeito, só um verdadeiro paciente e consciente pode conhecer tanto. Talvez esteja faltando uma falta de medo, muita coragem, muita convicção, muita autoestima, acreditando em milagre, não o milagre religioso, mas milagre de desejar e acontecer, quando acontece de ter uma sorte ou coincidência, muito poder, pode o que quer. Se a medicina pudesse juntar os sintomas do episódio maníaco com o sintoma da depressão, e misturasse bem, daria um ótimo remédio para os bipolares!Obrigada.

Como reconhecer um episódio maníaco
Como reconhecer um episódio maníaco

Voltar ao topo da página