Partilhar

Como tratar o daltonismo

 
Por Sara Viega. Atualizado: 16 janeiro 2017
Como tratar o daltonismo

O daltonismo é um transtorno ocular que dificulta a avaliação das cores primárias azul, verde e vermelho. Esta incapacidade visual é hereditária e costuma ocorrer dado que o cromossoma X que transmite a mãe ao feto durante a gravidez é defeituosa. Para a maioria das pessoas que sofrem deste tipo de transtorno, é normal a situação que vivem e não encontram nenhuma anomalia, dado que só confundem as cores ou não observam seus matizes, o que não tem que produzir necessariamente nenhuma dificuldade na vida cotidiana. No entanto, entre os 10 e os 20 anos de idade é quando mais se detecta se alguém é daltônico, por isso é muito importante ir ao médico e realizar os exames apropriados. Se não sabe se sofre deste transtorno ocular, não deixe de ler o seguinte artigo de umComo.com.br, no qual explicamos a você o que fazer perante este diagnóstico e como tratar o daltonismo.

Também lhe pode interessar: O daltonismo é hereditário?
Passos a seguir:
1

Detectar se uma pessoa sofre de daltonismo é fácil para a pessoa que sofre dele e para todas aquelas que a rodeiam. A dificuldade visual do paciente pode complicar algumas atividades diárias como a compra de frutas, os estudos ou inclusive alguns postos de trabalho. No entanto, não se trata de uma doença que o incapacite para nenhum trabalho ou atividade rotineira, pode ser inclusive que o paciente o detecte meramente por acaso.

Como tratar o daltonismo - Passo 1
2

Uma vez detectadas as anomalias visuais, é importante ir ao seu médico ou a um oftalmologista profissional para que diagnostique o transtorno. Geralmente, costuma-se levar a cabo o Teste de Ishihara, um exame médico que se realiza a partir de umas lâminas que contêm as cores primárias em pontos que formam um número. Se sua capacidade visual é normal, poderá distinguir o número ou a figura, enquanto que um daltônico não.

Como tratar o daltonismo - Passo 2
3

Se os exames médicos determinarem que sofre de daltonismo congênito, é hora de agir. Embora não exista um tratamento específico para este transtorno, já que também não se considera uma deficiência importante, há métodos que podem chegar a corrigir esta dificuldade oftalmológica.

4

Um dos melhores recursos para tratar o daltonismo são as lentes especiais, que contam com filtros desenhados para que alterem, de propósito, o espectro da luz para que assim o olho com dificuldades receba estímulos similares aos que recebe um olho sem transtorno, assim o paciente poderá chegar a se afastar do daltonismo e se aproximar de uma visão normal. Com estas lentes especiais o daltônico conseguirá ver muito mais cores e todos os matizes que, sem elas, seria impossível de observar. Os óculos corretivos são uma ótima opção, já que são adequadas para 80% dos casos de daltonismo.

Como tratar o daltonismo - Passo 4
5

Como já referimos anteriormente, o daltonismo não é um transtorno grave, nem causa dificuldades importantes na vida cotidiana. No entanto, é importante identificar os problemas oculares que causa a tempo, já que podem ser determinantes na hora de realizar certas atividades, estudos ou trabalhos, especialmente tudo aquilo que esteja relacionado com a luz ou os sinais luminosos, desde a carteira de habilitação até ao trabalho de controlador aéreo, por exemplo.

6

Se nota alguma anomalia na sua vista vá sempre ao seu oftalmologista de confiança. Ele indicará a você os passos a seguir para superar este transtorno ocular. Se quer saber mais sobre o daltonismo, não deixe de ler nossos artigos:

Este artigo é meramente informativo, no umCOMO não temos capacidade de receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como tratar o daltonismo, recomendamos que entre na nossa categoria de Doenças e Efeitos Secundários.

Escrever comentário sobre Como tratar o daltonismo

O que lhe pareceu o artigo?

Como tratar o daltonismo
1 de 4
Como tratar o daltonismo

Voltar ao topo da página