Partilhar

Por que tenho o fluxo menstrual intenso

 
Por Sara Viega. Atualizado: 23 agosto 2018
Por que tenho o fluxo menstrual intenso

O sangramento menstrual abundante é um problema conhecido clinicamente como menorragia, algo que pode acontecer em mulheres com um fluxo de sangue excessivo durante as suas menstruações ou que passam por períodos menstruais prolongados (mais de 7 dias). Isso é motivo para uma consulta ginecológica, pois pode ser consequência de diversos fatores, entre os quais se encontram condições ou transtornos ginecológicos que precisam de um diagnóstico prematuro e um tratamento médico específico para prevenir complicações futuras. Em umComo ajudamos você a proteger a sua saúde íntima e sexual e, neste artigo, vamos explicar para você todas as possíveis causas que podem responder à pergunta de por que tenho o fluxo menstrual intenso.

Quando se considera que a menstruação é abundante?

Segundo os especialistas, a menstruação é considerada abundante (menorragia) quando implica a perda de mais de 80 ml de sangue em cada um dos ciclos, assim como quando a sua duração se prolonga por mais de 7 dias. No entanto, como é pouco prático ou quase impossível medir a quantidade de perda de sangue desta forma, para saber se sofre de menorragia e se os seus ciclos podem ser definidos como abundantes, será necessário que tenha em consideração os dados que mostramos de seguida:

  • Ter um período menstrual com um fluxo abundante e com uma duração superior a 7 dias.
  • Necessidade de trocar o absorvente interno ou externo a cada hora e durante duas ou mais horas consecutivas.
  • Necessidade de levantar a meio da noite para trocar o absorvente.
  • Se sentir na obrigação de limitar ou suspender as atividades diárias devido a sangramentos menstruais muito abundantes.
  • Em casos mais graves, a menorragia pode dar lugar ao aparecimento de sintomas de anemia, tais como fadiga, debilidade, cansaço ou falta de fôlego.

Apesar de todas as mulheres poderem apresentar menorragia, há algumas com mais probabilidades de ter menstruações abundantes, são elas:

  • Garotas adolescentes que acabam de ter a primeira menstruação nos últimos 12 ou 18 meses.
  • Mulheres que estão próximas à etapa da menopausa.
  • Mulheres com antecedentes familiares de menorragia.
  • Mulheres que sofrem de obesidade.
  • Pacientes com algum tipo de problema ginecológico que deva ser tratado e controlado por médicos.

Ciclos menstruais sem ovulação, a causa mais comum

É conveniente referir que, em muitos casos, a causa exata da menorragia é desconhecida, mas existem certas condições ou doenças que podem ser a origem de sangramentos menstruais abundantes. Uma das causas mais comuns é a denominada menstruação sem ovulação ou sangramento ovulatório, um problema que pode aparecer tanto na adolescência como nos meses que precedem a menopausa, quando o processo de ovulação pode ocorrer de forma esporádica e irregular.

Quando nos deparamos perante um ciclo menstrual anovulatório, onde não ocorre o processo da ovulação, os hormônios estrógenos favorecem o crescimento do endométrio, que é o que se desprende e se expulsa em forma de sangue durante os dias da menstruação. Além disso, quando a ovulação não ocorre, não se produz progesterona que é o hormônio que permite que o endométrio passe para a fase lútea, onde a parede interna do útero engrossa para acolher o óvulo fecundado caso isso aconteça.

Por que tenho o fluxo menstrual intenso - Ciclos menstruais sem ovulação, a causa mais comum

Outras possíveis causas das menstruações abundantes

No entanto, o ponto anterior não é a única causa possível para dar resposta à pergunta de por que tenho o fluxo menstrual intenso, pois em outros casos a menorragia surge como um dos sintomas de uma determinada doença ou patologia em concreto. De seguida, explicamos quais condições podem originar esse sangramento excessivo:

Problemas hormonais

Sofrer de problemas hormonais que levem a uma produção excessiva de estrógenos (hormônios sexuais femininos) pode causar sangramento menstrual abundante. Quando existem condições como o hipotireoidismo, que também implica um desequilíbrio hormonal, é possível apresentar ciclos menstruais com um sangramento maior.

Cistos nos ovários

Podem ser definidos como sacos com líquido no seu interior, que se formam em um dos ovários ou em ambos. Causam sintomas quando aumentam de tamanho e, também, devido às menstruações irregulares, podem aparecer dores abdominais, pélvicas e incômodos durante as relações sexuais. No seguinte artigo pode ver Como saber se tem cistos nos ovários.

Fibromas ou miomas uterinos

São tumores benignos que aparecem no útero das mulheres e que, quando são sintomáticos, se manifestam por meio de sangramentos anormais entre ciclos e menstruações mais prolongadas ou abundantes (inclusive com coágulos) do que o habitual.

Pólipos no útero

São crescimentos benignos no endométrio que aparecem com mais frequência em mulheres acima dos 40 anos. Quando são sintomáticos, provocam sangramentos vaginais entre ciclos ou após as relações sexuais, menstruações com sangramento abundante e prolongado, anemia e dificuldades para engravidar se os pólipos forem grandes ou vários. Descubra no seguinte artigo Como tratar os pólipos no útero.

Doença Inflamatória Pélvica (DIP)

É uma infecção frequente na idade reprodutiva que afeta os órgãos sexuais femininos e que, normalmente, é causada por doenças de transmissão sexual, como a gonorreia ou a clamídia. Seus principais sintomas são sangramentos vaginais anormais, dores no abdômen, dores ao urinar e ao manter relações sexuais, náuseas, vômitos e febre. É necessário um tratamento antibiótico prematuro para evitar possíveis complicações, como infertilidade ou gravidez ectópica.

Endometriose

É uma doença que acontece quando as células do útero crescem em outras partes do corpo, dando lugar à formação de protuberâncias sangrantes que provocam diversos incômodos. Pode causar menstruações abundantes, mais curtas ou sangramentos entre ciclos, além de dores abdominais, pélvicas, lombares e durante ou após as relações sexuais.

Problemas de coagulação

Determinados transtornos de coagulação do sangue também podem ser os responsáveis pelas menstruações abundantes. Um exemplo poderia ser a chamada doença de Von Willebrand, que é uma doença hereditária onde há um significativo fator de coagulação de sangue deficiente, fazendo com que as plaquetas não se juntem e grudem nas paredes dos vasos sanguíneos de forma adequada.

Em outras ocasiões, a menorragia pode estar associada a doenças de fígado ou rim, câncer, bulimia, anorexia, quadros de estresse severo, uso de DIU ou ingestão de alguns medicamentos.

Por que tenho o fluxo menstrual intenso - Outras possíveis causas das menstruações abundantes

Quando ir ao ginecologista

Se durante as suas menstruações, você cumprir com os parâmetros citados na primeira parte, é muito importante consultar seu ginecologista o quanto antes. Principalmente, deverá fazê-lo se a cada hora tem que estar trocando o absorvente interno ou externo, se o sangramento vaginal for irregular e se apresentar qualquer sangramento anormal após a menopausa.

Será necessário que faça os exames ginecológicos oportunos para encontrar qual é a possível causa da menorragia e iniciar o tratamento mais adequado para o seu caso, pois o médico estabelecerá o tratamento farmacológico em função do fator de origem e, inclusive, um tratamento cirúrgico caso seja necessário.

Leitura complementar: Como estancar a menstruação por 1 dia

Por que tenho o fluxo menstrual intenso - Quando ir ao ginecologista

Este artigo é meramente informativo, no umCOMO não temos capacidade de receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Por que tenho o fluxo menstrual intenso, recomendamos que entre na nossa categoria de Saúde Familiar.

Escrever comentário sobre Por que tenho o fluxo menstrual intenso

O que lhe pareceu o artigo?

Por que tenho o fluxo menstrual intenso
1 de 4
Por que tenho o fluxo menstrual intenso

Voltar ao topo da página