Partilhar

Quais os efeitos colaterais do gengibre

 
Por Paula Cassandra. Atualizado: 7 março 2018
Quais os efeitos colaterais do gengibre

O gengibre é uma planta usada na culinária de muitos países além de possuir propriedades medicinais, tornando-o sempre presente na grande maioria das cozinhas do país. No entanto, como muitas outras espécies que possuem uma ampla variedade de usos, também pode provocar efeitos adversos em algumas pessoas ou quando consumida em exagero. Por isso, é importante saber quais os efeitos colaterais do gengibre e, para tanto, o umCOMO vai falar sobre eles, bem como a respeito dos seus benefícios e em que situações é indicado usar essa planta.

Sintomas adversos do gengibre

Embora possua uma série de benefícios para a saúde, o gengibre tem um gosto marcante que pode nem sempre combinar com o paladar das pessoas, o mesmo pode acontecer com o sistema digestivo. Desse modo, alguns dos efeitos colaterais do gengibre são a diarreia, azia e outros problemas de estômago, bem como arrotos fortes e alergia nas mucosas da boca e nos lábios, que podem ficar inchados. No entanto, isso costuma acontecer quando o gengibre é ingerido de maneira exagerada. As alergias ao gengibre podem se manifestar ainda de outras maneiras, como no aparelho respiratório, incluindo dificuldade em respirar e fechamento da garganta.

A planta está associada também à alergia na pele, como urticária, além de erupções e pele seca principalmente no rosto. Quando esses sintomas forem associados ao gengibre o melhor é parar de consumi-lo. A planta pode ainda causar efeitos colaterais em pessoas com problemas específicos, como em que tem doenças da vesícula biliar, uma vez que o gengibre estimula a secreção da bílis. Ao consumir o gengibre, portanto, esses pacientes podem sofrer um ataque de vesícula biliar. O mesmo acontece com alimentos e bebidas que contenha a planta em sua fórmula.

O gengibre também é desaconselhado para as mulheres que estão grávidas, pois ele pode causar contrações uterinas, o que é especialmente grave às gestantes que podem sofrer um aborto. Pacientes que fazem uso de remédios que impedem a coagulação do sangue são outros que estão no grupo de quem deve evitar o gengibre, pois assim como a aspirina ele é conhecido por afinar o sangue. Isso porque a planta estimula a circulação de sangue do corpo, ampliando o seu fluxo. Em situações de hemorragia, pode haver uma maior perda de sangue. Além disso, nesses casos, o melhor é que o gengibre não se combine como outras plantas, entre elas, a cúrcuma, o alho, o cravo e o ginseng.

Pelo mesmo motivo recomenda-se que as pessoas interrompam o consumo de gengibre duas semanas antes de qualquer procedimento cirúrgico. Outra razão para as pessoas não ingerirem gengibre quando forem operadas é pelo fato dele interagir com os agentes anestésicos normalmente usados em cirurgias. Quando isso ocorre, o risco de problemas aumenta durante a operação, inclusive, podendo haver sangramento e retardamento da cura. Também já foi identificado que o gengibre pode desencadear arritmias quando o seu consumo for exagerado, sendo que esse problema é especialmente grave em pessoas que já possuem algum problema de coração.

A insônia é outro sintoma adverso ligado ao consumo em demasia do gengibre. Embora ainda esteja em fase de comprovação, a ingestão da planta pode estar associada ainda à sensibilidade visual à luz. Outros estudos indicam que o gengibre pode causar supressão do apetite devido às concentrações hormonais de serotonina que a planta possui. Isso é benéfico a quem deseja emagrecer e sentir menos fome, no entanto, pode se tornar um efeito colateral se o seu consumo for exagerado e evitar uma boa alimentação.

O gengibre também é famoso por diminuir a pressão arterial e a concentração de açúcar no sangue, sendo esses benefícios que a planta possui. Porém, quando uma pessoa tem problemas de pressão e/ou diabetes e usa remédios para tratar essas doenças, a interação com o gengibre pode ser prejudicial à saúde. Nesse caso, o melhor é conversar com o seu médico para saber se existe uma dosagem de gengibre segura ou se o melhor é não consumi-lo mais. Saiba mais no artigo "Quem tem pressão alta pode tomar chá de gengibre?"

Quais os efeitos colaterais do gengibre - Sintomas adversos do gengibre

Benefícios do gengibre

Consumir o gengibre na medida certa, por outro lado, oferece uma ampla variedade de benefícios para o organismo, como o fato de ajudar no tratamento de algumas doenças, a exemplo do câncer do ovário e de cólon, já que a planta ajuda a eliminar as células cancerígenas. Mesmo que em altas doses a planta possa provocar problemas gastrointestinais, em doses moderadas faz o efeito contrário, sendo muito útil no tratamento de náuseas, azia, intoxicação alimentar e das cólicas menstruais.

Por ter propriedade anti-inflamatória, o gengibre também diminui as inflamações e as dores, funcionando como analgésico natural, inclusive, para o tratamento de resfriados. A planta é indicada ser consumida ainda quando a pessoa sofre de enxaqueca, nefropatia diabética (lesão renal) e quando precisa emagrecer. No entanto, mais uma vez é importante dizer que o seu consumo deve ser moderado para oferecer apenas os seus benefícios.

Quais os efeitos colaterais do gengibre - Benefícios do gengibre

Este artigo é meramente informativo, no umCOMO não temos capacidade de receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Quais os efeitos colaterais do gengibre, recomendamos que entre na nossa categoria de Vida Saudável.

Escrever comentário sobre Quais os efeitos colaterais do gengibre

O que lhe pareceu o artigo?

Quais os efeitos colaterais do gengibre
1 de 3
Quais os efeitos colaterais do gengibre

Voltar ao topo da página