Partilhar

Sintomas da meningite bacteriana

Por Paula Cassandra. Atualizado: 16 janeiro 2017
Sintomas da meningite bacteriana

A inflamação que acomete as membranas ao redor do cérebro pode ser causada por diferentes agentes patológicos. A maioria dos casos é provocada por bactérias, sendo importante conhecer os sintomas da meningite bacteriana para identificar o problema o quanto antes e buscar ajuda médica. Quando a doença não é tratada corre-se o risco de morte. Confira melhor essas informações com o umComo.com.br.

Também lhe pode interessar: Como tratar a meningite bacteriana
Passos a seguir:
1

Também chamada de meningite meningocócica, a meningite bacteriana ocorre quando as meninges estão inflamadas, as quais se referem às membranas que envolvem o cérebro. Existem outros dois tipos da doença, a viral e fúngica, sendo que para cada uma delas existem sintomas diferentes que surgem nos pacientes. É de extrema necessidade que as pessoas conheçam os sintomas da meningite bacteriana, que se trata de um problema relativamente comum e muito grave.

2

Entre os sintomas que o doente pode apresentar logo nos primeiros dias estão febre alta, vômito, náusea, calafrios, dor de cabeça, sensibilidade à luz, mudanças do estado mental, zonas roxas pelo corpo, semelhantes a machucados, além de pontos vermelhos e erupções. Outro sinal bastante comum da meningite é o pescoço rígido, sendo que a pessoa tem dificuldade em encostar o queixo no peito. Embora possa aparecer apenas em alguns pacientes, outros sintomas são perda da consciência, respiração acelerada e moleiras protuberantes.

Sintomas da meningite bacteriana - Passo 2
3

Também é possível observar em alguns pacientes uma postura incomum, em que a cabeça e o pescoço ficam arqueados para trás. Já crianças com a doença podem se negar a comer e se mostrarem irritadiças. Quando a meningite é bacteriana, ela pode ser causada por três microrganismos diferentes: Neisseria meningitidis, Hemophilus influenzae e Streptococcus pneumoniae. Eles, normalmente, habitam o nariz ou o aparelho respiratório, sem que isso seja um problema. Porém, feridas na cabeça ou problemas do sistema imunológicos podem levá-los ao cérebro, quando a situação se torna grave.

4

Além disso, estão mais suscetíveis a desenvolverem a doença pessoas que estejam com infecção crônica do nariz ou ouvido, além de pneumonia e quem abusa do álcool e tem demais hábitos que enfraquecem o sistema imunológico. Entram ainda no grupo de risco crianças entre um mês e dois anos de idade, sendo elas as maiores acometidas, inclusive, nos meses da primavera e do inverno, quando as doenças respiratórias são mais comuns.

5

Já o tratamento é feito com antibióticos, mas se ao chegar ao médico o estado do doente estiver grave pode ser necessário aplicar uma injeção de corticosteroides a fim de controlar a inflamação. Devido aos sintomas, é importante ainda que o paciente beba muito líquido. Quando o tratamento não é iniciado a tempo, as complicações possíveis são: convulsão, dano no cérebro, perda da audição, miocardite, hidrocefalia e até mesmo hemorragias.

Sintomas da meningite bacteriana - Passo 5
6

A melhor forma de prevenir novos casos é com o tratamento, pois trata-se de uma doença extremamente contagiosa. Existem ainda vacinas que protegem da doença quando são causadas por algumas bactérias. Há também dois grandes aliados na hora da prevenção: manter o sistema imunológico fortalecido com bons hábitos e estar sempre atento à higiene pessoal e dos ambientes em que se mora, trabalha e outros.

Este artigo é meramente informativo, no umCOMO não temos capacidade de receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Sintomas da meningite bacteriana, recomendamos que entre na nossa categoria de Doenças e Efeitos Secundários.

Escrever comentário sobre Sintomas da meningite bacteriana

O que lhe pareceu o artigo?

Sintomas da meningite bacteriana
1 de 3
Sintomas da meningite bacteriana

Voltar ao topo da página