menu
Partilhar

O que causa linfedema

 
Por Juliana Ribeiro. 29 novembro 2023
O que causa linfedema

O sistema linfático é composto por uma rede de vasos e gânglios linfáticos. Outros órgãos como amígdalas, medula óssea, baço e timo estão envolvidos neste sistema. Tem muitas semelhanças com o sistema circulatório, mas em vez de transportar sangue, o que transporta é a linfa, ou seja, um líquido transparente que percorre os vasos linfáticos e reveste os tecidos.

Quando o sistema linfático não consegue drenar a linfa, seja porque está danificado ou bloqueado, ocorre edema ou inchaço devido ao acúmulo de líquido conhecido como linfedema. É um problema de saúde no qual é importante aprofundar-se para detectá-lo e, consequentemente, saber como agir. Para saber o que causa linfedema, seus sintomas e tratamento, bem como sua origem, no umCOMO recomendamos que você continue lendo este artigo.

Também lhe pode interessar: O que é teratoma sacrococcígeo

O que é linfedema e o que causa

Linfedema refere-se ao inchaço dos tecidos causado pelo acúmulo de líquido (linfa) rico em proteínas e que, geralmente, é drenado pelo sistema linfático do corpo humano. Afeta mais frequentemente as pernas ou braços, mas também pode ocorrer no abdômen, parede torácica, pescoço e órgãos genitais.

Casos graves de linfedema podem afetar a capacidade de movimentação do membro afetado, aumentar os riscos de infecções de pele e sepse, além de causar alterações e lesões na pele.

O que causa linfedema

Os gânglios linfáticos são uma parte essencial do sistema linfático. O linfedema pode ocorrer devido a tratamentos contra o câncer, nos quais os gânglios linfáticos são removidos ou danificados. É que qualquer tipo de problema que prejudique ou bloqueie a drenagem da linfa pode causar linfedema.

Além disso, nos países em desenvolvimento, uma das causas mais comuns de linfedema é a infecção por parasitas e/ou vermes que obstruem os gânglios linfáticos. Menos comumente, o linfedema pode ser causado por doenças hereditárias que impedem o desenvolvimento adequado do sistema linfático.

Tipos de linfedema

Existem dois tipos de linfedema:

  • Linfedema primário: corresponde à ausência ou mau desenvolvimento dos vasos do sistema linfático, razão pela qual este não consegue transportar a linfa. Geralmente afeta os membros inferiores, mas não é frequente e costuma estar relacionado a distúrbios hereditários. Apesar de poder se manifestar desde o nascimento da pessoa ou ser latente e surgir em qualquer momento da vida, geralmente coincide com períodos de alterações hormonais, como ocorre na adolescência.
  • Linfedema secundário: é muito mais frequente que o primário. As suas causas correspondem a infecções bacterianas recorrentes (geralmente na pele), a algumas doenças como a filariose ou a tuberculose, devido a um câncer que provoca a obstrução dos gânglios linfáticos e o mais frequente, a cirurgia ou radioterapia para o tratamento do câncer. Nestes casos, é necessária a retirada dos gânglios linfáticos da região em uma cirurgia oncológica ou a irradiação dessa área. Dependendo de quando surge, esse linfedema pode ser precoce (ocorrendo alguns dias após a cirurgia) ou tardio (aparecendo meses ou anos depois).

Conheça as doenças transmitidas por Aedes Aegypti neste outro artigo.

O que causa linfedema - O que é linfedema e o que causa

Sintomas de linfedema

Os principais sintomas do linfedema são os seguintes:

  • Inchaço de parte ou de toda a perna ou braço, incluindo os dedos das mãos e dos pés.
  • Sensação de peso ou opressão na área afetada.
  • Infecções recorrentes.
  • Amplitude de movimento limitada.
  • Espessamento e endurecimento da pele (fibrose).

Os sintomas são variáveis ​​e podem evoluir de leves a graves. Em alguns casos, o linfedema causado pelo tratamento do câncer só aparece meses ou anos após o tratamento.

Se notar inchaço persistente nas pernas ou nos braços, marque uma consulta para que o seu médico possa verificar e diagnosticar o linfedema. Se você já foi diagnosticado, também deve consultar um médico se houver um aumento repentino e drástico no tamanho do membro afetado.

Tratamento para linfedema

Em geral, o linfedema é uma doença crônica que não tem cura porque o dano ao sistema linfático não pode ser reparado, mas pode ser tratado com o objetivo de atenuar o acúmulo de líquido na área afetada e controlá-lo para que não piore. Estes são os possíveis tratamentos a seguir:

  • Drenagem linfática manual: fisioterapeutas especializados realizam massagens manuais com as quais o líquido é evacuado da área ou extremidade afetada.
  • Uso de aparelhos ortopédicos: o uso de mangas ou meias de compressão pode ajudar a estancar o inchaço, pois promovem a circulação de líquidos e evitam seu acúmulo.
  • Cirurgia: às vezes, a circulação da linfa pode ser redirecionada para as veias desobstruídas do sistema circulatório, bem como um transplante dos vasos linfáticos através de intervenção cirúrgica.
  • Faça exercícios específicos para as extremidades: ajudam a manter a mobilidade ideal e uma boa drenagem da perna ou braço. Geralmente, recomenda-se começar com um nível de exigência baixo e aumentá-lo gradativamente.
  • As infecções devem ser evitadas para reduzir as chances de linfangites repetidas, pois podem piorar a doença. Para isso, é importante manter uma boa higiene das mãos e dos pés, além de evitar queimaduras e cortes no membro afetado.
O que causa linfedema - Tratamento para linfedema

Este artigo é meramente informativo, no umCOMO não temos capacidade de receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a O que causa linfedema, recomendamos que entre na nossa categoria de Doenças e Efeitos Secundários.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?
O que causa linfedema
1 de 3
O que causa linfedema

Voltar ao topo da página