Partilhar

Espinha no pênis é normal?

Por Nathália Oliveira. Atualizado: 3 outubro 2018
Espinha no pênis é normal?

Ao menor sinal de alguma coisa fora do normal no pênis, é natural que os homens fiquem preocupados. Logo se pensa na possibilidade de ser alguma doença sexualmente transmissível ou até mesmo algo mais grave, como câncer. Mas, se você está sofrendo com espinhas, pequenas bolinhas no pênis, saiba que estes sintomas podem surgir a qualquer idade e estão relacionados a problemas benignos. Neste artigo do umCOMO, abordaremos as possíveis causas dos cravos no prepúcio e seus devidos tratamentos. Não se esqueça de ir ao seu urologista para receber o diagnóstico e tratamento corretos. Nosso objetivo é apenas informá-lo se Espinha no pênis é normal? O que pode ser e tratamento.

Também lhe pode interessar: Como tratar uma ferida no pênis

Causas das bolinhas no pênis

Se você está sofrendo de espinhas, bolinhas ou cravos no pênis, saiba que, normalmente, elas não indicam algo preocupante. No entanto, é sempre importante procurar um médico para que ele possa averiguar todas as possibilidades. Existem diversas causas de espinhas no pênis:

  • Puberdade;
  • Glândulas de Tyson;
  • Verrugas genitais;
  • Grânulos de Fordyce;
  • Doença de Peyronie;
  • Líquen plano;
  • Linfocele;
  • Câncer no pênis.

Continue lendo para descobrir cada uma delas em detalhes;

Espinhas no pênis e puberdade

Se você está passando pela fase da puberdade, saiba que é comum aos meninos adolescentes o aparecimento de pequenas espinhas no pênis. As espinhas, ou acne, são nada mais que inflamações causadas por obstruções nos poros, causada pela alta produção de óleo da própria pele. Por isso, é normal que surja acne no pênis.

Como tratar espinhas no pênis

Geralmente, as espinhas no pênis não exigem tratamento específico, e somem com o tempo. Entretanto, caso elas sejam recorrentes, é o caso de procurar um urologista para ter um diagnóstico mais preciso sobre espinha inflamada no testículo. E como tratar espinha no pênis? Em primeiro lugar, usar pomadas para acne sem prescrição médica não é uma boa ideia, já que a pele das partes íntimas é super sensível e isso pode causar reações indesejadas.

Para evitá-las, o ideal é manter uma alimentação restrita em alimentos muito oleosos e gordurosos. Mantenha a região do pênis sempre limpa com água e sabonete neutro, e seque bem para evitar o aparecimento de micoses. As espinhas também costumam aparecer em caso de suor excessivo, principalmente se a região ficar abafada. Para contornar isso, prefira cuecas de algodão e que não sejam muito apertadas.

Se você tem cravos no prepúcio, este artigo pode ser útil: Prepúcio inflamado, o que pode ser?

Glândulas de Tyson ou pápulas peroladas

As pápulas perlácias penianas ou glândulas de Tyson que acometem sobretudo homens na faixa dos 20 e 30 anos. Elas são pequenas bolinhas brancas que podem aparecer por baixo da cabeça do pênis, geralmente acompanhadas de manchas brancas, que podem ser confundidas com espinhas na glande, cravos na glande ou com verrugas genitais. É por isso que é tão importante fazer acompanhamento com um urologista, caso você perceba algo de atípico na saúde de seu órgão genital.

No entanto, de acordo com estudo realizado por pesquisadores da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro[1], as glândulas de Tyson não apresentam problemas e são benignas. O único transtorno que elas podem causar é o estético, podendo acabar incomodando alguns homens que se sentem desconfortáveis e preferem optar pela retirada das "bolinhas".

Para esses casos, o urologista pode recomendar a cauterização, procedimento que usa uma corrente elétrica para removê-las, ou uma pequena cirurgia, aonde o médico retira as bolinhas com um bisturi. Os dois procedimento levam anestesia local.

Espinha no pênis é normal? - Glândulas de Tyson ou pápulas peroladas

Verrugas genitais

As verrugas genitais são causadas pelo HPV (vírus do papiloma humano) e causam modificações na pele do pênis, podendo ser confundidas com espinhas penianas ou acne no pênis. As verrugas são rugosas e ásperas ao toque, sendo bem diferente dos casos apresentados acima - a começar pelo HPV ser uma doença sexualmente transmissível. A melhor prevenção continua sendo sempre o uso de preservativos.

De acordo com pesquisadores da Universidade Federal Fluminense[2], a manifestação das verrugas genitais não ocorre só no pênis - elas podem aparecer também no períneo. Os estudiosos também afirmam que a transmissão do HPV (cuja manifestação são as verrugas) se dá sobretudo pelo contato com sangue contaminado.

Para o tratamento, o urologista pode indicar uma pomada a ser aplicada diretamente nas verrugas. Porém, é comum que elas voltem a aparecer, uma vez que o organismo pode demorar anos para eliminar o vírus do corpo.

Saiba como detectar as verrugas genitais nesse artigo.

Grânulos de Fordyce

Os grânulos de Fordyce são pequenas bolinhas brancas que surgem na glande e em todo o pênis, mas são benignas e não representam nenhum tipo de complicação, tampouco estão relacionadas com doenças sexualmente transmissíveis. Os grânulos são mais comuns durante a pré-adolescência, mas podem surgir em qualquer idade.

De acordo com estudo científico publicado no Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial[3], os grânulos de Fordyce são mais comuns na mucosa da boca (o que não afasta a possibilidade de se manifestarem de forma semelhante à acne no pênis).

O tratamento inclui o uso de algum gel específico receitado pelo urologista, ou com o uso de laser para eliminar os grânulos e na maioria dos casos é feito apenas por razões estéticas.

Doença de Peyronie

A doença de Peyronie não tem uma causa específica, mas é responsável pelo aparecimento de placas duras, que podem provocar dor no pênis e disfunção erétil se o problema já estiver em um estágio mais avançado. De acordo com informações publicadas por especialistas na revista Urologia Brasil[4], essa doença se manifesta como caroços duros, geralmente em um dos lados do pênis. É comum, ainda, o aparecimento de outros sintomas como encurvamento do pênis e ereção dolorosa.

A doença de Peyronie pode aparecer em homens de qualquer idade, mas é mais provável a partir dos 40 anos. Em alguns casos os caroços desaparecem sozinhos, em outros é necessário uma cirurgia para a remoção dos caroços e correção da curvatura do pênis. Os especialistas da Urologia Brasil também afirmam que a Doença de Peyronie é comum após traumas sucessivos no pênis.

O tratamento se dá tanto por via oral (por medicamentos como pentoxifilina, vitamina E e colchicina), quanto por terapia externa (iontoforese e terapia extracorpórea por ondas de choque).

Líquen plano

O líquen plano tem a aparência de bolinhas vermelhas no pênis ou carocinhos que coçam e às vezes doem. Trata-se de uma inflamação de pele com coceira que pode aparecer em qualquer parte do corpo, sobretudo na mucosa bucal. Hepatite C, quadros de ansiedade e depressão e exposição a metais pesados podem favorecer o aparecimento das bolinhas, mas não são determinantes.

Deve-se ficar atento a espinhas no pênis, pois podem ser uma manifestação da doença. O líquen plano pode desaparecer sozinho e voltar a surgir, mas o seu tratamento costuma ser feito com anti-histamínicos, para aliviar a coceira, preferencialmente recomendado por um infectologista, dermatologista ou clínico geral e medicamentos que aumentem a imunidade do paciente.

Leia também: Coceira na cabeça do pênis, o que pode ser?

Linfocele no pênis

O acúmulo de líquido linfático pode acontecer em qualquer parte do corpo após uma lesão, pancada ou masturbação intensa, inclusive no pênis, causando caroços na região pubiana masculina que podem parecer bolinhas no pênis, acne no pênis ou cravos na glande. Quando a causa é esta, a linfa acumulada que resulta neste caroço no púbis masculino deve se drenar naturalmente fazendo com que os sintomas desapareçam, mas uma massagem pode acelerar o processo.

De acordo com artigo desenvolvido por especialistas em urologia da Universidade Federal do Amazonas[5], essa doença é mais comum em indivíduos não-circuncidados, com baixo nível educacional, pouco desenvolvimento socioeconômico e sem instrução sobre as formas adequadas de lavar o pênis.

A linfocele no pênis pode ser tanto combatida com radioterapia quanto com ablação com laser de CO2.

Câncer no pênis

Esse é um tipo muito raro de câncer que começa com o aparecimento de pequenos caroços e feridas no pênis. Geralmente, quem apresenta esse tipo de câncer são homens com mais de 60 anos, ou fumantes, ou que não apresentam uma boa higienização no local.

De acordo com artigo publicado na revista Urologia Fundamental[2], o câncer de pênis ocorre em número mais expressivo entre os homens de países não desenvolvidos. Em geral, quem tem câncer de pênis já teve fimose ou HPV, além de não ter hábitos alimentares apropriados.

Nos estágios iniciais de câncer de pênis, a chance de cura é bem alta. O tratamento é feito com uma cirurgia, inicialmente, para remover o máximo de células cancerígenas, seguida de radioterapia ou quimioterapia. Em casos mais graves, pode ser necessário remover o pênis, a fim de impedir que o câncer se espalhe pelo corpo.

Uma das principais medidas preventivas contra o câncer de pênis é, além de lavar bem a região, parar de fumar. Segundo os pesquisadores da revista Urologia Fundamental, esse tipo de tumor é mais comum entre os homens tabagistas.

Dica: Se você também apresenta esse sintoma, não perca o artigo Bolinhas no pênis podem ser DST?

Cuidados médicos: por que procurar

Tem-se a impressão de que as mulheres são mais rigorosas com a saúde íntima do que os homens, mas as estatísticas para ambos são igualmente preocupantes: 52% das mulheres brasileiras não realizam o exame preventivo periodicamente[6] e 51% dos homens brasileiros nunca se consultaram com um urologista[7].

É preciso que tanto homens quanto mulheres procurem urologistas e ginecologistas para realizarem exames periódicos e averiguar qualquer sinal de problemas no pênis ou na vagina. A maioria das doenças citadas nesse artigo pode ser combatida com prevenção ou tratada com sucesso caso seja descoberta cedo. Por isso, mantenha as consultas com seu médico sempre em dia.

Este artigo é meramente informativo, no umCOMO não temos capacidade de receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Espinha no pênis é normal?, recomendamos que entre na nossa categoria de Saúde Familiar.

Referências
  1. http://www.dst.uff.br/revista22-3-2010/Papulas%20Perlacias.pdf
  2. http://www.dst.uff.br/revista20-2-2008/7.pdf
  3. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1676-24442012000300011&script=sci_arttext
  4. https://www.researchgate.net/profile/Luis_Spessoto/publication/292981248_Doenca_de_Peyronie/links/56b3733f08ae04dc8a2971c4.pdf
  5. http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?fase=r003&id_materia=4181
  6. https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2018/01/11/52-das-brasileiras-nao-realizam-exame-ginecologico-preventivo.htm
  7. https://saude.estadao.com.br/noticias/geral,mais-de-50-dos-homens-nunca-foram-ao-urologista--diz-pesquisa-da-sbu,1724989

Escrever comentário sobre Espinha no pênis é normal?

O que lhe pareceu o artigo?
2 comentários
paulimsoaresdasilva@gmail.com
meu penis ficou escuro e nasceu umas espinhas apos uso de bomba peniana ele volta ao normal
Guilherme
Tô com uma espinha no pênis amarela

Espinha no pênis é normal?
1 de 2
Espinha no pênis é normal?

Voltar ao topo da página