Partilhar

Fisgadas na mama pode ser câncer?

Por Letícia Lima. Atualizado: 6 junho 2018
Fisgadas na mama pode ser câncer?

A preocupação das mulheres com a própria saúde é um excelente sinal de autocuidado - essa é uma das razões para a expectativa de vida feminina ser maior do que a masculina. Dessa forma, indivíduos do sexo feminino costumam observar mais as mudanças no próprio corpo, sobretudo no que diz respeito à alterações no ciclo menstrual como também a dor nos seios. Com a crescente mobilização social em torno do combate ao câncer de mama, as mulheres ficam mais atentas à sensibilidade incomum na região das mamas. Portanto, surge o questionamento: fisgadas na mama pode ser câncer? No umCOMO iremos esclarecer essa e outras dúvidas sobre o tema. Confira!

Também lhe pode interessar: Como tratar do câncer de mama

Fisgadas na mama pode ser câncer?

O câncer é um fantasma que assombra todos aqueles que se preocupam com saúde e qualidade de vida. Apesar do tratamento para o câncer ter evoluído muito nos últimos anos, continua sendo invasivo e muito delicado para o indivíduo com a doença. Nesse sentido, é comum que as mulheres façam uma ligação entre a dor nas mamas e o surgimento do câncer. Contudo, o surgimento dos nódulos cancerígenos nos seios em pouquíssimos casos provoca dor. Portanto, é raro que fisgadas na mama possam ser câncer. Veja como fazer o autoexame de mama e previna-se!

No entanto, é bom ficar atenta caso você apresente os seguintes sintomas:

  • Dor no bico da mama ou dor nos mamilos;
  • Retração do mamilo;
  • Mudança de aspecto e textura do seio;
  • Mudança de cor das mamas;

Também não se deve confundir as fisgadas na mama com pontadas no coração. Enquanto a dor nas mamas é mais externa, as pontadas no coração são internas. Frequentemente as pontadas no coração são causadas por quadros de ansiedade, estresse, ou até mesmo gases. Procure um médico caso as pontadas no coração sejam constantes!

Fisgadas na mama após silicone

De acordo com dados da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica, em 2015 o Brasil era o segundo país do mundo onde mais se realizavam implantes de silicone nos seios. Mesmo sendo uma cirurgia comum, muitas mulheres ainda têm dúvidas acerca dela, sobretudo em relação ao pós operatório.

No entanto, fique tranquila: sentir fisgadas na mama após colocar silicone é normal! Além disso, a dor diminui após as duas primeiras semanas - se persistir após esse período, você deverá entrar em contato com seu cirurgião plástico para maiores esclarecimentos.

Sugestão: Coceira no bico da mama, o que pode ser?

Fisgadas na mama pode ser gravidez?

Os sinais de gravidez podem ser um motivo de alegria ou de preocupação, a depender do caso da mulher em questão. Independentemente disso, as fisgadas na mama são sim um dos primeiros sinais de gravidez. Fique atenta caso você também apresente:

  • Náuseas
  • Menstruação atrasada
  • Cansaço e sonolência
  • Dor abdominal

Todos esses sintomas podem indicar que há um bebê a caminho. Para descobrir se você está grávida de fato, o ideal é fazer um exame de gravidez de farmácia ou, para maior segurança, um exame de Beta hCG. Veja nosso artigo sobre como interpretar o exame Beta hCG e saiba mais sobre ele.

Se você já é mãe, já deve ter observado a sensação de fisgadas na mama após amamentação. Essa dor é absolutamente normal e indica que seus seios estão produzindo leite para alimentar o bebê. No entanto, as fisgadas na mama também podem ser um sinal de ingurgitamento mamário, conhecido popularmente como "leite empedrado". Essa condição pede uma massagem nas mamas em movimentos circulares, além da aplicação de compressas de água morna para auxiliar no relaxamento muscular. Fique atenta!

Leia também: Mama inchada e dolorida, o que pode ser?

Fisgadas na mama e displasia mamária

A displasia mamária é uma alteração nas mamas muito comum e que atinge sobretudo mulheres entre os 19 e 40 anos. Sua principal característica é a dor nos seios, além de retenção de líquidos (inchaço) e mudança no aspecto das mamas. É importante deixar claro que displasia mamária não é uma doença, ou seja, não causa mal algum à saúde da mulher - apenas provoca um desconforto.

Caso você tenha suspeita de displasia mamária, procure seu ginecologista para maiores esclarecimentos. Ele poderá prescrever um tratamento para aliviar as dores e, consequentemente, melhorar sua qualidade de vida. Nesse sentido, sabe-se que uma dieta rica em vitamina E ajuda a minimizar os desconfortos da displasia mamária. Portanto, dê preferência a alimentos como azeite, espinafre, amendoim, nozes, ovos, carnes, leite, queijo, arroz e aveia. Conheça outros alimentos ricos em vitamina E neste artigo.

Leia também: Secreção na mama é normal?

 

Dicas para prevenção do câncer de mama

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, o câncer de mama é o mais frequente nas mulheres, tanto em países desenvolvidos quanto em nações em vias de desenvolvimento. Trata-se de uma condição que cada vez faz mais vítimas, dificultando o seu tratamento especialmente quando o mesmo se diagnostica em fase tardia. Conhecer os fatores de risco desta doença e cuidar da nossa saúde com revisões frequentes é indispensável para diminuir a incidência no seu aparecimento.

É realmente possível prevenir o câncer de mama?

Infelizmente, não existe uma fórmula completamente eficaz para prevenir o câncer de mama; no entanto, podemos reduzir ao mínimo todos aqueles fatores de risco modificáveis que podem dar lugar ao aparecimento da doença. A revisão médica e a nível pessoal frequente, seguir um estilo de vida saudável e ir a um especialista perante o mínimo desconforto ou suspeita são medidas fundamentais para diminuir as possibilidades do seu aparecimento.

Alguns fatores de risco do câncer de mama que não podem ser controlados são:

  • Ser mulher.
  • Ter mais de 45 anos, momento a partir do qual se apresentam a maioria de casos.
  • Contar com um familiar direto que tenha sofrido de câncer de mama, por exemplo mãe, pai ou irmãos.
  • Ter mutações nos genes BRCA1 e BRCA2.
  • Ter sofrido de câncer de mama anteriormente, o que aumenta o risco do sofrer de novo.

Aqueles fatores de risco que podem ser controlados por nós são:

  • Sofrer de obesidade.
  • Levar um estilo de vida sedentário.
  • Ser fumante durante muitos anos.
  • Realização de terapias de substituição hormonal durante a menopausa.
  • Beber álcool.
Fisgadas na mama pode ser câncer? - Dicas para prevenção do câncer de mama

Como prevenir o câncer de mama

Pratique atividades físicas

O sedentarismo é um dos fatores que incide no aparecimento de câncer de mama, aumentando também a possibilidade de sofrer de obesidade. Realizar exercício físico com frequência praticando 4 ou mais horas de exercício físico por semana pode diminuir a possibilidade de sofrer desta condição ao fomentar hábitos de vida mais saudáveis e favorecer a luta contra a formação de radicais livres.

Tente manter um peso adequado

Evitar a obesidade, especialmente após a menopausa é uma boa forma de prevenir o câncer de mama, pois esta condição influência diretamente na produção hormonal, aumentando a possibilidade de apresentar esta condição.

Quando a mulher se encontra em idade fértil, os ovários são os responsáveis por produzir a maior parte dos estrogênios do nosso corpo, enquanto o tecido adiposo produz uma pequena parte. Mas quando se entra na fase da menopausa e a mulher tem obesidade, o tecido adiposo pode começar a produzir estrógenos em excesso, aumentando a possibilidade de sofrer de câncer de mama. Cuidar da alimentação e manter um peso adequado é importante para prevenir estas e outras doenças derivadas do excesso de peso, como a diabetes, o colesterol alto ou o fígado gordo.

Visite um ginecologista anualmente

Visitar o ginecologista uma vez ao ano para uma revisão de rotina é fundamental; no entanto, isto torna-se ainda mais obrigatório se contarmos com casos de câncer de mama na família, especialmente quando quem o sofreu são familiares diretos. O seu médico deve estar atento a esta informação e iniciar os exames de mamografia quando considerar oportuno ou uma vez ao ano a partir dos 40 anos.

Autoexame de mama

O autoexame de mama é fundamental para detectar qualquer anomalia na zona desde a sua fase inicial, já que ainda que esta medida não seja uma solução preventiva do câncer de mama, trata-se de uma sugestão básica para que nós mesmas nos convertamos nas guardiãs da nossa saúde. Perante qualquer caroço, dureza ou sensação anormal e pouco habitual, é fundamental consultar o seu ginecologista.

Evite as terapias de substituição hormonal

A diminuição na produção de estrogênios que ocorrem na menopausa faz com que as mulheres enfrentem uma série de mudanças físicas importantes e determinantes. Algumas destas mudanças podem afetar o estado de ânimo e disposição da mulher, por isso se você vai de forma frequente a terapias de substituição hormonal combinadas com o objetivo de diminuir este desconforto, este tratamento tem demonstrado, segundo estudos recentes, que aumenta o risco de sofrer de câncer de mama, por isso é conveniente evitá-lo.

Recorrer a tratamentos naturais para reduzir os sintomas e seguir um estilo de vida saudável podem diminuir a presença dos sintomas da menopausa e melhorar a qualidade de vida da mulher durante esta etapa de mudanças.

Converse com o médico no caso de alto risco de câncer de mama

Se em sua família há vários casos de câncer de mama ou se você suspeita de ter a mutação dos genes BRCA1 e BRCA2, é muito importante consultar o seu ginecologista e esclarecer com ele as suas dúvidas para que ofereça a você as melhores soluções. Os exames genéticos para detectar este tipo de mutações são uma boa alternativa em pacientes com históricos familiares de câncer de mama; no entanto, só um especialista poderá nos indicar a melhor opção segundo o nosso caso.

Leia também: 10 fatos sobre seios que você não sabia

Este artigo é meramente informativo, no umCOMO não temos capacidade de receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Fisgadas na mama pode ser câncer?, recomendamos que entre na nossa categoria de Doenças e Efeitos Secundários.

Escrever comentário sobre Fisgadas na mama pode ser câncer?

O que lhe pareceu o artigo?
1 comentário
A sua avaliação:
Nadia
obrigada pelas infos. eu sinto uma fisgadas na mama esquerda, como se fossem agulhadas na mama...fiquei mais tranquila mas vou ao médico

Fisgadas na mama pode ser câncer?
1 de 2
Fisgadas na mama pode ser câncer?

Voltar ao topo da página