Partilhar

O que é a disritmia cerebral

Por Paula Cassandra. Atualizado: 16 janeiro 2017
O que é a disritmia cerebral
Imagem: univrmagazine.it

Mais conhecida como epilepsia, a disritmia cerebral ocorre quando há mudanças na intensidade e no ritmo das ondas elétricas do cérebro. Já que o problema, muitas vezes, é diagnosticado só quando o paciente tem um ataque epilético, é importante buscar ajuda médica em seguida. Para esclarecer dúvidas, o umComo.com.br vai falar mais sobre o que é a disritmia cerebral, sintomas e tratamentos.

Também lhe pode interessar: Como tratar a esclerose cerebral

Causas e sintomas da disritmia cerebral

Nos últimos anos, mais pessoas são diagnosticadas com disritmia cerebral ou epilepsia, sendo que em todo o mundo atinge em torno de 6% da população. Embora o mais comum seja caracterizar o problema pelas convulsões, esse sintoma é apenas um dos tantos que aparecem nos pacientes. Além disso, quando ocorrem os chamados ataques, o problema já pode estar presente há muito mais tempo.

As alterações das ondas elétricas cerebrais são bruscas e temporárias, por isso, o paciente se debate com as convulsões, as quais podem se tornar crônicas e frequentes. No entanto, mesmo quando não são perceptíveis as mudanças no cérebro os sintomas podem provocar manifestações motoras, além de sensoriais, sensitivas, psíquicas e mesmo neurovegetativas. Quanto à causa dessa descarga cerebral descontrolada a medicina ainda desconhece, mas acredita-se que está associada a fatores hereditários.

Se for genético, os sintomas podem aparecer entre os dois e 14 anos de idade. Já se os sintomas surgirem antes ou depois dessa faixa etária o motivo pode referir-se a tumores e mesmo a traumatismos, inclusive, ocorridos durante partos mal conduzidos ou complicados. Além disso, há pessoas que apresentam o problema de forma repentina, sem que seja encontrada a causa. Pacientes entre os 14 e 30 anos são os mais comuns.

O que é a disritmia cerebral - Causas e sintomas da disritmia cerebral
Imagem: everydayhealth.com

Diagnóstico e tratamento da disritmia cerebral

Quando a criança é diagnosticada com disritmia cerebral apenas ao sofrer ataques epiléticos, se o problema já existe há mais tempo, pode atrapalhar o seu desenvolvimento neurológico. Além disso, é importante explicar que nem sempre uma convulsão significa um ataque epilético. A pessoa que sofre de epilepsia, além de convulsões, apresenta fortes dores nos olhos, crise de enxaqueca, ardência no rosto e na boca, tremulação, dificuldade para enxergar ou visão dupla, além de desmaios, sinais esses que vão contribuir para o diagnóstico.

Para identificar a disritmia cerebral também são realizados exames neurológicos, sendo que o tratamento é feito com um psiquiatra ou neurologista. Embora o problema não tenha cura, é possível controlar as crises epiléticas com remédios que previnem descargas cerebrais anormais. A terapia comportamental é outro tratamento eficiente. É essencial ainda ter uma série de cuidados para que o paciente não sofra complicações.

No caso dele ter um ataque, é importante que as pessoas próximas deixem o paciente deitado de costas e retirem os objetos ao seu redor com os quais possa se machucar. Já se a pessoa começar a babar durante uma crise é importante virar a sua cabeça para o lado, mas caso ela morda é melhor colocar um pano entre os dentes para não morder a língua. Também é preciso levantar o seu queixo para que não fique sem ar e, em hipótese alguma, dar tapas no paciente ou jogar água nele.

O que é a disritmia cerebral - Diagnóstico e tratamento da disritmia cerebral
Imagem: samaritano.org.br

Este artigo é meramente informativo, no umCOMO não temos capacidade de receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a O que é a disritmia cerebral, recomendamos que entre na nossa categoria de Doenças e Efeitos Secundários.

Escrever comentário sobre O que é a disritmia cerebral

O que lhe pareceu o artigo?
4 comentários
A sua avaliação:
Marcelo Oliveira Dos Inocentes
Gostaria de saber qual o diagnóstico da disritimia celebral o que é?
Bruna Araújo
Eu tive problemas de Disritmia Celebral, mas fiz o tratamento corretamente usei meus medicamentos ate meus 17 anos de idade, e hoje vivo bem, minha ultima crise foi aos 12 anos de idade, hoje já estou com 29 e muito bem.
A sua avaliação:
Maria da Gloria
Minha amiga tem um comportamento estranho, eu acredito que algo esta relacionado com algum tipo de problema mental.
Marilda
Tenho um filho que tem disritmia cerebral ele já passou por vários médicos e tomou vários remédios e continua tendo crises ele toma agora 3 tipos de remédios torval rivotril gotas e carbamazepina o que devo fazer?
jocileia ramos
Bom dia eu tenho 2filho q tem disritmia celebral e muito difícil pra eles aprender as coisa como a ler ?

O que é a disritmia cerebral
Imagem: univrmagazine.it
Imagem: everydayhealth.com
Imagem: samaritano.org.br
1 de 3
O que é a disritmia cerebral

Voltar ao topo da página