Partilhar

Ritalina - Indicação, uso e efeitos

Por Nicolas Santos. Atualizado: 16 janeiro 2017
Ritalina - Indicação, uso e efeitos
Imagem: diariodocentrodomundo.com.br

Ritalina é o nome dado para o remédio geralmente usado para tratar TDAH (Transtorno com Deficit de Atenção ou Hiperatividade). Possui o cloridrato de metilfenidato como princípio ativo para estimular o sistema nervoso central, embora a forma que ele age no SNC não seja completamente conhecida. Neste artigo, umComo te apresenta informações sobre a Ritalina, indicação, uso e efeitos.

Também lhe pode interessar: Dermatop - indicações, uso e efeitos

Quem pode tomar Ritalina e como é feito o diagnóstico

A Ritalina é um medicamento receitado por médicos para os pacientes que apresentam TDAH ou alterações de comportamento, geralmente receitado como última alternativa para o tratamento. Os pacientes são crianças e jovens com idade entre 6 e 18 anos. Para a receita do remédio, as outras opções para a terapia já se mostraram ineficientes, elas poderiam ser terapia educacional, social e psicológica.

Quando esses esforços se mostram inválidos o médico então decide pelo uso da Ritalina para o tratamento. O seu diagnóstico é ponderado a partir de hiperatividade que pode se manifestar na criança ou jovem que geralmente apresentam dificuldade de concentração ou dificuldade de ficar sentado, parado.

Posologia e como a Ritalina atua no indivíduo

A Ritalina atua através do sistema nervoso central, diretamente no cérebro do indivíduo ativando as partes que ficam sub-ativos em pessoas que possuem TDAH, nivelando-as com o resto do funcionamento cerebral. Processo que ajuda consideravelmente a capacidade de se concentrar, raciocinar e ponderar, diminuindo o comportamento compulsivo e controlando impulsos da coordenação motora.

A sua capsula é composta por Pellets de dissolução imediada e uma camada de liberação de efeito prolongada (50%,50%) que se estende durante as 8 horas aproximadas de duração do medicamento. É possível abrir a capsula e misturar com sucos ou outras bebidas não alcoólicas para as pessoas que não gostam de engolir comprimidos, o gosto não é muito agradável mas o remédio não perde o efeito.

Ritalina - Indicação, uso e efeitos - Posologia e como a Ritalina atua no indivíduo
Imagem: unicamp.br

Contraindicações e fatos a se considerar sobre a Ritalina

Este remédio não deve ser administrado por pessoas com hipersensibilidade ao princípio ativo da Ritalina ou qualquer outra substância que componha a cápsula. Pessoas com ansiedade ou hipertensão, assim como os problemas cardiovasculares, tireoide, glaucoma, tiques ou histórico de síndrome de Tourette na família não devem tomar Ritalina.

Antes de iniciar a administração deste remédio vale lembrar que ele não pode ser usado sem o prévio consentimento do seu médico, o tratamento se inicia com doses menores que podem vir a aumentar caso o seu médico julgue necessário.

O tratamento não deve durar muitos anos, sendo necessárias consultas periódicas com o seu médico para verificar se ainda é necessário o uso do medicamento.

É aconselhável iniciar o tratamento durante as férias escolares para minimizar os efeitos secundários iniciais do medicamento. Pacientes que apresentam dificuldade para dormir devem tomar o remédio ao menos quatro horas antes de se deitar.

Tal como qualquer outro remédio este não deve ser dado a ninguém, conhecido do paciente ou amigo, mesmo que apresente os mesmos sintomas. Em caso de gravidez a gestante deve imediatamente avisar seu médico para a suspensão do tratamento.

Ritalina é a solução ideal?

A questão sobre se a Ritalina é o melhor remédio para tratar de TDAH é muito vasta, somente o médico responsável pelo paciente pode afirmar se o tratamento com esse remédio foi bom ou não. Embora a maioria das pessoas que administram Ritalina confirmem que o seu tratamento é eficaz, por ser um medicamento que age no sistema nervoso central o seu uso deve ser muito bem ponderado. Atualmente o temor dos profissionais com a Ritalina é que ela seja receitada desnecessariamente, para crianças que apresentam apenas um excesso de atividade apenas porque assim fica mais fácil educá-la. Por este motivo, Ritalina deve ser um remédio utilizado como ultimo recurso para o tratamento.

Efeitos colaterais da Ritalina

Como qualquer medicamento, este também possui os seus efeitos secundários ou colaterais.

  • Batimento cardíaco irregular, palpitação.
  • Variação de humor
  • Pensamentos ou atos suicidas
  • Alteração da realidade, entender as coisas de forma não natural
  • Ver, ouvir, sentir coisas que não existem
  • Síndrome de Tourette (descontrole de fala e alguns movimentos)s

Outros efeitos colaterais da Ritalina envolvem insônias, náuseas, pressão arterial elevada, boca seca, diminuição de peso, desconforto no peito, sensação de taquicardia, nervosismo e dores musculares.

Podem se verificar alguns outros sintomas mas com pequena taxa de incidência, caso ocorra com o paciente ele deve comunicar imediatamente o seu médico.

Não tome Ritalina sem receita médica.

Este artigo é meramente informativo, no umCOMO não temos capacidade de receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Ritalina - Indicação, uso e efeitos, recomendamos que entre na nossa categoria de Medicamentos e Suplementos.

Conselhos
  • Todo medicamento deve ser administrado com conhecimento e recomendação do seu médico, não tome medicamentos por conta própria.

Escrever comentário sobre Ritalina - Indicação, uso e efeitos

O que lhe pareceu o artigo?
2 comentários
A sua avaliação:
Carol
Tomei Ritalina por conta quando estava estudando pra concurso... é, eu sei... "menina loca!" Mas, fazer o quê se esse remédio foi ótimo pra aumentar minha concentração? Foi bom mesmo! Eu sempre tive "problemas" de atenção (não estou dizendo que tenho TDAH). Tomei quando estava estudando e quando passou o concurso parei de tomar, não tive crises de abstinência, nada, tudo normal, a não ser aquela letargia de sempre... ainda tenho alguns comprimidos que já estão quase vencendo, não tive mais necessidade de tomar, por isso parei. Daí eu fui fazer o "certo", me consultei com um psiquiatra, expliquei meu problema de atenção e o bendito me receita antidepressivo! Diz ele que vai aumentar minha atenção... acho que estou tomando farinha porque até agora nada de diferente. Eu até queria chegar e pedir Ritalina, mas não era o certo, tinha que ver se ele mesmo, por si só, acharia que eu precisava dela... pelo jeito não. Ele acha que eu sou assim porque tenho episódios depressivos. Não importa, eu só quero estudar. Se esse ou qualquer outro remédio resolver meu problema de atenção, ótimo! Mas a Ritalina foi melhor.
karina
Tomei tbm , para ter mais concentração nos estudos por conta própria e deu super certo não senti nada de anormal, minha concentração triplicou, consegui estudar 5 a 6 horas direto, parei depois que fiz o concurso.
ivone
EVITE ALOPÁTICOS ,BUSQUE ALTERNATIVAS NATURAIS , EQUILIBRE-SE COM ERVAS E CULTURA RACIONAL

Ritalina - Indicação, uso e efeitos
Imagem: diariodocentrodomundo.com.br
Imagem: unicamp.br
1 de 2
Ritalina - Indicação, uso e efeitos

Voltar ao topo da página