Partilhar

Como tratar o mal de Parkinson

Como tratar o mal de Parkinson

O Parkinson é uma doença conhecida também como paralisia agitante ou Parkinsonismo. A causa desta doença ainda não é conhecida, mas sabe-se que está relacionada com a intoxicação por monóxido de carbono e manganês, infecções virais com encefalite e traumatismos cranianos com encefalite repetida. É uma doença cujos principais sintomas são tremores, rigidez muscular, lentidão de movimentos e alteração dos reflexos posturais. Neste artigo de umComo.com.br vamos lhe explicar como tratar a doença de Parkinson indicando-lhe a medicação que existe e alguns conselhos para melhorar a qualidade de vida do paciente.

Também lhe pode interessar: O Parkinson é hereditário?
Passos a seguir:
1

Antes de começar a falar sobre o tratamento desta doença, vamos entender de que se trata. O Parkinson afeta diretamente as conexões cerebrais e vai-se manifestando de forma progressiva no paciente. Até aos dias de hoje, não existe nenhuma cura específica que possa remitir esta doença mas há diferentes medicamentos que estão indicados para aliviar os sintomas e poder permitir que o paciente desfrute de uma vida muito mais tranquila e de qualidade.

Temos que saber que no interior do nosso cérebro temos uma substância negra que é a responsável por conter a dopamina, o hormônio que é responsável por coordenar os nossos movimentos e é a que se danifica quando o Parkinson começa a aparecer. A condição diminui a produção de dopamina e, por isso, começa-se a perder o controle sobre o corpo e os movimentos do mesmo tendo uma menor coordenação e estabilidade.

Por este motivo, um dos sinais mais caraterísticos do Parkinson é o tremor nas mãos, movimentos que a pessoa não pode controlar e que refletem o pouco controle que tem sobre os mesmos. Mas a doença também afeta outros aspetos como a lentidão nos movimentos e na fala algo que, muitas vezes, pode associar-se com a idade e, por isso a detecção pode ser mais tardia.

Como tratar o mal de Parkinson - Passo 1
2

O tratamento do Parkinson que atualmente existe, como já referimos, consegue apenas minimizar os sintomas da doença e fazer com que o paciente possa viver melhor. No entanto, ainda não existe uma cura que possa atrasar esta doença e, por isso irá afetando o paciente de forma progressiva durante o passar dos anos.

O médico terá que realizar um exame detalhado ao afetado para determinar que tratamento deve seguir e, melhorar assim a sua qualidade de vida. Deverá ser sempre prescrito por um médico para que possa fazer-lhe um seguimento exaustivo e mudar a medicação, caso seja necessário. No geral, receita-se um tipo de medicação que está indicado para aumentar a produção de dopamina.

Como tratar o mal de Parkinson - Passo 2
3

Além da medicação receitada pelo especialista, é importante que o paciente se submeta a diferentes exercícios de reabilitação física que lhe permita manter as funções dos seus músculos e da sua anatomia em bom estado. Por este motivo, é bastante recomendável que os doentes de Parkinson façam exercício físico de forma diária, pelo menos, 30 minutos mas em umComo queremos lembrar-lhe da importância de consultar o seu médico antes de começar com o treino, pois nem todas as pessoas podem fazer os mesmos exercícios.

No geral, o esporte que costuma ser aconselhado serve para melhorar a força dos braços, o torso e as pernas, além dos exercícios físicos, também deverá ir a um fonoaudiólogo para melhorar a fala e manter, o maior tempo possível, a capacidade comunicativa do doente.

Como tratar o mal de Parkinson - Passo 3
4

O Parkinson é uma doença que evolui de forma progressiva e os primeiros sinais podem confundir-se perfeitamente com os estragos da idade uma vez que restringe os movimentos, prejudica a fala e, faz com que a memória fique afetada sem a capacidade de se lembrar de acontecimentos recentes. No entanto, com o passar do tempo a doença começa a tornar-se mais evidente ao apresentar sintomas que são inconfundíveis como os seguintes:

  • Dor nas articulações: também pode confundir-se com o passar dos anos e a velhice mas é uma das caraterísticas da doença que, ao alterar a mobilidade do corpo, as articulações começam a usar-se em menor medida e, por isso, começam a aparecer as primeiras dores.
  • Pouco controle sobre os movimentos: ao afetar a produção de dopamina, o corpo começa a mexer-se de forma incontrolada e alguns impulsos aparecem quando o paciente se mostra mais relaxado (como é o caso do tremor das mãos).
  • Rigidez muscular: também é possível que a pessoa sinta que o seu corpo está muito rígido, isto é porque os movimentos ficam limitados e o seu cérebro não recebe corretamente a informação do resto do corpo.
  • Movimentos lentos: a conexão que se estabelece entre o corpo e o cérebro é muito mais lenta e, por isso, o paciente poderá sentir que lhe custa mais mexer-se assim como também falar, pegar em um objeto, etc.
  • Sem expressividade facial: os gestos do rosto que fazemos quando falamos também se devem a esta informação que fica congestionada pela dopamina. O Parkinson faz com que isto também fique afetado e que o paciente fique sem expressividade.

Neste artigo de umComo contamos-lhe de forma detalhada como saber se uma pessoa tem Parkinson.

Como tratar o mal de Parkinson - Passo 4
5

Muitas pessoas perguntam se o Parkinson é hereditário e, a verdade é que, não existe uma resposta 100% certa uma vez que existe um tipo de doença que é hereditária e que faz com que membros da mesma família possam ficar afetados por esta doença. Mas apenas 10% dos afetados são por motivos genéticos e os 90% dos restantes tem a origem da doença desconhecida.

Mas herdá-la apenas é possível se o pai ou a mãe tiverem a doença e a possam transmitir aos seus filhos, embora também seja possível que a transmissão não seja por via direta mas sim que os tios, os avós ou os primos também possam ser canais genéticos.

Este artigo é meramente informativo, no umCOMO não temos capacidade de receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como tratar o mal de Parkinson, recomendamos que entre na nossa categoria de Doenças e Efeitos Secundários.

Escrever comentário sobre Como tratar o mal de Parkinson

O que lhe pareceu o artigo?
3 comentários
francinete alves machado
como amenizar os sintomas (tremores nas mãos?
gualter amaral
tem remedio que evida a remedeira
Edna Lucia Rodrigues
Gostaria de saber se a coenzima q10, ajuda no tratamento de tremores nas maos? Se pessoa hipertensa pode consumir esse suplemento. Mesmo controlada por remedios.

Como tratar o mal de Parkinson
1 de 5
Como tratar o mal de Parkinson

Voltar ao topo da página