Partilhar

Contraindicações da ginkgo biloba

Por Sara Viega. Atualizado: 16 janeiro 2017
Contraindicações da ginkgo biloba

A ginkgo biloba é uma árvore originária da China que se converteu ao longo dos séculos em uma das alternativas naturais mais empregadas para aumentar nossa energia e beneficiar a saúde de nosso cérebro. No entanto, assim como ocorre com muitas plantas medicinais, seu uso está contraindicado em determinados casos nos quais seu consumo habitual poderia acabar afetando nossa saúde. No umComo.com.br explicamos a você em detalhes as contraindicações da ginkgo biloba.

Também lhe pode interessar: Quais são as propriedades da Ginkgo Biloba
Passos a seguir:
1

A ginkgo biloba conta com diversos benefícios, sendo usada com frequência para aumentar nossa energia e melhorar a concentração. No entanto, esta planta medicinal é um potente estimulante por isso não deve nunca ser ingerida:

  • Durante a gravidez e a amamentação.
  • Por crianças menores de 12 anos.
  • Por pessoas que sofram de insônia ou que padeçam de problemas de ansiedade e nervosismo.

Do mesmo modo, existem certas condições médicas que fazem que o consumo desta opção natural possa pôr em risco a saúde do paciente, nos seguintes passos descrevemos a você quais são.

2

Uma das principais contraindicações da ginkgo biloba tem a ver com seu efeito vasodilatador, por isso o consumo desta planta medicinal não se recomenda sob nenhuma circunstância a:

  • Pacientes que ingerem medicamento anticoagulante, pois seu efeito poderia ser potencializado devido às propriedades desta planta, fazendo que o sangue se torne mais líquido que o conveniente.
  • Quem sofre de úlceras ou feridas de grande tamanho, já que o sangramento das mesmas poderia aumentar.
  • Mulheres com menstruação muito abundante, que poderiam apresentar ainda um maior sangramento se consumirem esta planta medicinal de forma frequente.
Contraindicações da ginkgo biloba - Passo 2
3

Também não se recomenda tomar ginkgo biloba se tiver problemas de coagulação do sangue, pois esta planta poderia potencializar ainda mais esta condição, pondo em risco a saúde do paciente perante qualquer lesão que implique sangramento.

A ingestão desta planta medicinal deve ser suspensa antes de qualquer intervenção cirúrgica; além disso, é importante informar ao médico a respeito de seu consumo antes da operação.

4

Sob nenhuma circunstância se recomenda o consumo da ginkgo biloba a quem sofre de epilepsia ou tenha tido convulsões no passado, já que poderá correr o risco de ver esta condição aumentada devido aos componentes da ginkgo.

5

Se está sob tratamento farmacológico é importantíssimo consultar seu médico antes de ingerir esta planta, pois entre as contraindicações da ginkgo biloba se destaca sua interferência em diversos medicamentos como o ibuprofeno, a aspirina, os anticonvulsivos, a fluoxetina, medicamentos hepáticos, antidepressivos, entre outros.

6

O consumo de sementes de ginkgo biloba está completamente contraindicado para qualquer pessoa, pois são tóxicas, podendo conduzir a convulsões, dificuldades respiratórias e perda da consciência.

Se conta com qualquer doença crônica que requer um tratamento médico prolongado, consulte um especialista antes de tomar esta planta ou qualquer suplemento que a contenha.

Este artigo é meramente informativo, no umCOMO não temos capacidade de receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Contraindicações da ginkgo biloba, recomendamos que entre na nossa categoria de Vida Saudável.

Escrever comentário sobre Contraindicações da ginkgo biloba

O que lhe pareceu o artigo?
1 comentário
Rejane Felix da Silva
Boa noite! Eu tomo remédio de carbamazepina 200gr, e fui operada por problema de aneurisma do cérebro, e ainda estou com pequeno aneurisma vou operar novamente pela virilha. Então eu posso tomar o chá de "Ginkgo biloba"?

Contraindicações da ginkgo biloba
1 de 2
Contraindicações da ginkgo biloba

Voltar ao topo da página