menu
Partilhar

Mel: benefícios e malefícios

 
Por Juliana Ribeiro. 28 novembro 2022
Mel: benefícios e malefícios

O mel é um alimento absolutamente natural que as abelhas fazem a partir do néctar que coletam de diferentes flores. É conhecido e utilizado desde a antiguidade, tanto pelo seu sabor adocicado e valor nutricional, como pelas suas propriedades benéficas para a saúde. Mel de mil flores, mel de alecrim, mel de tomilho... o mel é um presente da natureza que pode ser apreciado sozinho ou como ingrediente de inúmeras receitas, fornecendo, em qualquer caso, múltiplos elementos que cuidam do organismo.

Como fonte de saúde e beleza, neste artigo do umCOMO, te contamos tudo sobre o mel: benefícios e malefícios.

Propriedades do mel

O mel nutritivo é um alimento com alto teor energético, pois uma porção de cerca de 100 gramas fornece cerca de 300 Kcal. Como afirma a Fundação Espanhola de Nutrição (FEN)[1], esta energia deriva principalmente da presença de açúcares como frutose (38%), glicose (31%) e, em menor grau, sacarose. Além disso, embora as vitaminas sejam escassas, o que torna o mel um alimento saudável é sua riqueza em minerais, com destaque para cálcio (5 mg/100 gramas), fósforo (17 mg), potássio (51 mg), sódio (11 mg), magnésio (2 mg), selênio (1mg) ou zinco (0,9mg), todos micronutrientes importantes não encontrados em outros adoçantes, como açúcares refinados. Quanto às vitaminas, embora em pequenas quantidades, destacam-se algumas do grupo B. Conheça todas as suas propriedades:

  • Para que serve o mel? O mel não é apenas um alimento com interessantes propriedades energizantes, devido à sua contribuição em açúcares, mas também possui outras qualidades que o fazem ser considerado uma fonte de saúde (e beleza).
  • Durante séculos, o poder do mel é conhecido como um antisséptico natural com propriedades antibióticas e antibacterianas, às quais se deve somar sua capacidade de ajudar no processo de cicatrização de pequenas feridas quando usado externamente. Aqui você pode ler sobre Como usar o mel para cicatrizar.
  • O mel é considerado como tendo efeitos anti-inflamatórios e ajuda a manter a pele mais jovem e saudável devido aos elementos antioxidantes, especialmente flavonóides e polifenóis, que contém e que atuam a nível celular contra a ação dos radicais livres.
  • Em relação às suas propriedades benéficas para o sistema digestivo, o mel não é apenas uma importante fonte de energia natural, mas também promove uma boa digestão, cuidando da flora intestinal devido às suas propriedades prebióticas.
  • A textura viscosa do mel e o seu teor de água tornam este alimento dotado de uma boa capacidade de hidratação, o que é especialmente interessante para o cuidado externo da pele. Além disso, o mel possui propriedades emolientes que podem proporcionar maior suavidade e maciez à derme. Internamente, essas propriedades emolientes aliviam possíveis irritações, por exemplo, na garganta.
  • Finalmente, estima-se que o mel ajuda a adormecer e combater o estresse devido aos seus leves efeitos sedativos.
Mel: benefícios e malefícios - Propriedades do mel

Benefícios do mel

Você está se perguntando quais os benefícios que o mel tem? Bem, tomado em quantidades moderadas, o mel é um alimento benéfico para todo o corpo. Seu sabor doce não só promove o bem-estar, mas suas propriedades também o tornam um bom remédio para prevenir ou aliviar certas doenças:

  • As propriedades antimicrobianas ajudam a combater processos infecciosos de vários tipos, sendo eficazes no alívio de resfriados e outras doenças do trato respiratório. Também protege o sistema digestivo, ajudando a combater a presença de bactérias digestivas como a Helicobacter Pylori, responsável pelas úlceras pépticas.
  • O mel é uma importante fonte de energia 'imediata', sendo especialmente favorável na prática desportiva e também em estados gerais de cansaço, fadiga ou falta de vitalidade.
  • As suas propriedades antioxidantes fazem deste alimento um aliado da saúde, pois retarda o stress oxidativo que afeta as células de cada um dos nossos órgãos, favorecendo também o bom estado do sistema imunitário.
  • O mel é bom para o bom desenvolvimento da atividade cerebral, não só pela presença de importantes minerais essenciais para o seu bom funcionamento, mas também porque contribui para a formação das reservas de glicogénio que o cérebro necessita para realizar os seus diferentes processos, desde a aprendizagem à memória.
  • Em caso de constipação ocasional, o mel é eficaz na promoção do trânsito intestinal.
  • A todos estes efeitos benéficos devemos acrescentar aqueles que o mel proporciona no uso externo, sendo eficaz no cuidado da pele proporcionando hidratação extra e também contra pequenas feridas ou queimaduras devido às suas propriedades antissépticas.

Como tomar mel

O mel é um adoçante que pode ser tomado diretamente ou como ingrediente em deliciosas receitas ou remédios caseiros. Espalhado na torrada no café da manhã, é perfeito para fornecer a energia necessária para enfrentar as atividades diárias e dissolvido em um pouco de água com suco de limão se tornará um excelente 'xarope' para combater catarros e resfriados.

Juntar uma colher a um copo de leite ou a qualquer produto lácteo, do iogurte ao queijo, é uma forma deliciosa de desfrutar de todas as suas boas propriedades. É claro que seu uso na confeitaria, em muitas sobremesas e bolos é generalizado, embora não devamos esquecer que o mel também é perfeito para preparar molhos e temperos originais.

Mel faz mal?

Quando tomar mel pode trazer malefícios? Ou, melhor dizendo, contraindicações? Sempre que falamos de quantidades moderadas, as contraindicações do mel são mínimas, embora existam algumas exceções que devem ser levadas em consideração:

  • Pessoas com excesso de peso terão que limitar (ou eliminar) seu consumo devido ao seu alto teor calórico.
  • Além disso, aqueles que são alérgicos ao pólen não devem tomá-lo em nenhum caso, pois sua ingestão pode ter sérias consequências.
  • Além disso, se você sofre de algum tipo de diabetes, em princípio, o mel, rico em açúcares, não é recomendado, pois pode aumentar perigosamente o índice glicêmico, mas, neste caso, você deve sempre consultar seu médico sobre a possibilidade de incluir o mel, com moderação, na dieta.
  • Por fim, deve-se lembrar que bebês e crianças pequenas (menos de um ano) não devem tomar mel, pois o alimento pode conter a bactéria que causa o botulismo e o organismo das crianças dessa idade ainda não tem a resistência necessária para combatê-lo. Pela mesma razão, mulheres grávidas e lactantes devem consultar seu médico sobre a adequação de seu consumo.

Agora que você já conhece todas as propriedades do mel, experimente as receitas com mel.

Este artigo é meramente informativo, no umCOMO não temos capacidade de receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Mel: benefícios e malefícios, recomendamos que entre na nossa categoria de Vida Saudável.

Referências
  1. FEN. Fundação Espanhola de Nutrição | Comidas e bebidas.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?
Mel: benefícios e malefícios
1 de 2
Mel: benefícios e malefícios

Voltar ao topo da página