Partilhar

Tratamento caseiro para plicoma anal

Por Nathália Oliveira. 28 junho 2018
Tratamento caseiro para plicoma anal

O plicoma anal são dobras de pele externa soltas na região do canal anal. Decorre de um espessamento da pele ou do excesso da mesma na região. Diferentemente das hemorroidas, que são veias, o plicoma é apenas uma pele, ou seja, não há sangramento. Neste artigo do umCOMO, falaremos um pouco a respeito do que é o plicoma anal, sintomas, como preveni-lo e como tratá-lo. Entenda agora qual é o tratamento caseiro para plicoma anal e como cuidar.

Também lhe pode interessar: Como curar uma fissura retal - sem cirurgia

O que é o plicoma anal?

O plicoma anal é um excesso de pele que aparece na região do ânus. Essa "pelinha no ânus" pode ter diversas causas: na grande maioria das vezes, o excesso de pele é causado por algum atrito repetitivo. Mas também há outros motivos que ajudam a explicar o aparecimento do plicoma: um deles é a hemorroida.

Causas do plicoma anal

Apesar da hemorroida e o plicoma serem duas coisas diferentes, o plicoma pode aparecer após um episódio de inflamação das hemorroidas. Em casos de hemorroidas externas (usualmente aparecem em casos pós-parto, lesões durante a evacuação e cirurgias), depois da fase aguda da doença, as veias ora inflamada melhoram de aspecto e podem deixar o excesso de pele como cicatriz no ânus.

Além disso, esforços feitos durante o período de inflamação das hemorroidas (como pegar peso, fazer força ao defecar, etc) pode fazer com que a pele ao redor do ânus perca elasticidade, formando o plicoma.

As fissuras anais, ferimentos que aparecem nas margens externas do canal anal, também podem explicar o aparecimento do plicoma. Em fissuras em fase de cicatrização, a pele da parte externa do canal pode se agrupar formando o que é conhecido pela medicina como plicoma sentinela.

Outras causas que ajudam a explicar o aparecimento do plicoma são:

  • Mulheres pós-parto normal;
  • Constipação/intestino preso/prisão de ventre;
  • Sexo anal;
  • Período de cicatrização de cirurgias anais;
  • Complicações da doença de Crohn.

O plicoma anal inicialmente não dói, apenas gera um incômodo (sensação de ter uma "bolinha" próxima ao ânus). A manipulação excessiva do plicoma (como excesso de papel higiênico, por exemplo) pode levar à dor, inchaço, edema e prurido.

O tamanho dos plicomas pode variar, desde milímetros a alguns centímetros. Dependendo do tamanho, pode até mesmo prejudicar a higiene local - casos para os quais a remoção cirúrgica é mais do que necessária. É uma cirurgia de pequeno porte, feita com anestesia local e que não costuma necessitar de preparo intestinal anterior.

Tratamentos para plicoma anal

Alguns medicamentos podem ser receitados pelo médico para auxiliar no tratamento. Medicações emolientes podem ajudar a reduzir o esforço feito na hora de evacuar, além de analgésicos, anti-inflamatórios e pomadas anestésicas para o alívio dos sintomas e do incômodo.

Alimentação

Melhorar a alimentação é um ponto fundamental do tratamento. É imprescindível que o paciente inclua mais fibras em sua dieta, além de aumentar a ingestão de água (lembre-se que o recomendado pela Organização Mundial de Saúde é 2l de água por dia). Dessa forma, é possível evitar cada vez mais casos de constipação. Leia mais no artigo "alimentos para a prisão de ventre" e descubra diversas opções que vão lhe ajudar a ter uma rotina um pouco mais amigável com o seu intestino.

Higiene para quem tem plicoma anal

Na hora de ir ao banheiro, algumas mudanças também são importantes: evitar o uso de papel higiênico (diminuindo assim o atrito), usar ducha ou bidê com jato fraco de água para a higiene íntima, evitar esfregar a região e criar o hábito de ter evacuações mais rápidas (sem ficar sentado no vaso por longos períodos) são algumas mudanças fáceis de serem feitas e que auxiliam na eficácia do tratamento.

Veja também: Como tratar uma fissura anal

Banho de assento para plicoma anal

Em casos de plicomas inflamados, uma boa opção de tratamento que pode ser feito em casa são os banhos de assento:

  1. Para fazer o banho de assento, você precisará de uma bacia grande o suficiente para que cubra a região das ancas e das nádegas;
  2. Serão necessários 2l de água levemente morna;
  3. O banho de assento pode ser potencializado com o uso de algumas ervas como hamamélis, cipreste e alfazema. Essas ervas possuem efeitos analgésicos, anti-inflamatórios, adstringentes e calmantes.
  4. Sente-se dentro da bacia e fique na mesma posição por cerca de 20 minutos.
  5. Para que o tratamento surja efeito rapidamente, recomenda-se fazer o banho de assento cerca de quatro vezes ao dia.

Sugestão: Pontadas no ânus, o que pode ser?

Este artigo é meramente informativo, no umCOMO não temos capacidade de receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Tratamento caseiro para plicoma anal, recomendamos que entre na nossa categoria de Doenças e Efeitos Secundários.

Escrever comentário sobre Tratamento caseiro para plicoma anal

O que lhe pareceu o artigo?
1 comentário
Massaru Kohara
Olá, para plicoma anal, o medico indicado seria gastroenterologista? grato.
Editor umComo.com.br
Oi Massaru, seria o proctologista.

Tratamento caseiro para plicoma anal
Tratamento caseiro para plicoma anal

Voltar ao topo da página