Partilhar

Esclerose subcondral - Tratamento e causas

Esclerose subcondral - Tratamento e causas

A esclerose subcondral é uma doença que tem impacto nos ossos das pessoas que têm artrites, especificamente na zona das articulações, e é decorrência do aumento da massa da densidade óssea de uma camada fina de osso abaixo da cartilagem da articulação. Esta doença é crônica e dolorosa, é muito fácil de detectar e tem uma variedade de tratamentos. Se você foi diagnosticado com esclerose subcondral e procura seus tratamentos e causas, leia esse artigo do umCOMO e entenda tudo sobre a condição.

O que é esclerose das articulações

A esclerose ocorre nas articulações quando há um desgaste na cartilagem das articulações, sendo mais comum em pessoas de mais idade pelo desgaste decorrente do tempo, entretanto, há outros fatores que colocam as articulações em risco, sendo as mais comuns:

  • Exercício físico em excesso (comum em atletas);
  • Obesidade;
  • Esforços físicos repetitivos (costuma ocorrer em pessoas que trabalham passando muito tempo em pé, digitando em computadores, carregando peso, etc.);
  • Doenças reumatológicas inflamatórias;
  • Má formação do esqueleto;
  • Má postura;
  • Sedentarismo.

Quando há o desgaste da cartilagem, o osso ao redor acaba engrossando e também se desgastando, quando a esclerose chega a esse ponto é chamada de esclerose subcondral pois atingiu o tecido abaixo da cartilagem, chamado de osso subcondral.

Esclerose subcondral: sintomas

Os sintomas da esclerose subcontral podem variar de acordo com a localização e o grau que a doença atingiu, entretanto, os sintomas mais comuns são:

  • Sensibilidade;
  • Dor;
  • Inchaço;
  • Formigamento;
  • Perda parcial ou total da movimentação da articulação;
  • Engrossamento do osso que envolve a articulação;
  • Dor de cabeça (quando a esclerose ocorre no crânio);
  • Alteração na visão (quando a esclerose atinge os nervos ópticos).

Além dos sintomas acima citados, vale dar grande importância à conexão entre esclerose óssea subcondral e formação de osteófitos. Osteófitos são pequenos crescimentos ósseos que costumam surgir nas articulações danificadas pela esclerose junto ao engrossamento do esqueleto.

Esclerose subcondral e osteófitos marginais estão ligados pois quando há o desgaste da articulação o corpo tentar compensar a falta do tecido desgastado com o crescimento ósseo, que é chamado popularmente de bico de papagaio e causar dores principalmente quando localizado em uma articulação sob a qual se coloca peso corpóreo, como a do calcanhar.

Leia mais em: O que é a osteofitose

Esclerose subcondral: tratamento

Os tratamentos da esclerose subcondral podem ser variados dependendo da zona de tratamento e da intensidade, esclerose subcondral quadril e esclerose subcondral joelho são as mais comuns por serem articulações muito usadas para a locomoção. Aqui citaremos os métodos de tratamento mais utilizados, entretanto, você deverá consultar um médico especialista que recomende o mais adequado para seu caso:

  • Exercícios físicos como natação e bicicleta estática;
  • Redução do peso corporal;
  • Fisioterapia;
  • Eletroterapia;
  • Terapia do movimento;
  • Próteses;
  • Terapias térmicas;
  • Acupuntura;
  • Ozonoterapia;
  • Adicionar na dieta alimentar glucosamina, condroitina e metil sulfonil metano;
  • Exercícios para fortalecer e alongar os músculos que suportam as costas;
  • Evitar a má postura e a mecânica corporal inadequada.

Cirurgia de Esclerose subcondral

Em casos nos quais a degeneração da articulação chegou a um ponto extremo, impedindo a movimentação da articulação danificada, é possível realizar uma cirurgia que substituir a zona de ligamento entre ossos por uma artificial de material resistente e hipoalergênico.

Esclerose subcondral tem cura?

Por ser uma doença crônica e degenerativa, a esclerose subcondral não tem cura, o que se pode fazer é consultar um médico para que um dos métodos do tratamento acima seja realizado, aliviando tanto os sintomas quanto diminuindo a velocidade com que a doença evoluirá. Se você tem esse tipo de esclerose, não se desanime com o fato de não haver cura definitiva pois com o tratamento adequado é possível que você leve uma vida normal caso a doença não tenha chegado a um extremo, ou seja, assim que a doença for confirmada, corra atrás de tratamento e evite maiores danos.

Esclerose subcondral aposenta?

Para conseguir aposentadoria por invalidez não apenas em casos de esclerose subcondral mas em qualquer caso de doenças em impeçam o paciente de trabalhar é necessário marcar uma consulta com um médico especialista do INSS que avaliará se a aposentadoria é válida. Mesmo após a confirmação da impossibilidade do paciente de trabalhar é necessário fazer avaliações periódicas para que seja constatado se o paciente ainda é incapaz de trabalhar.

Em casos de esclerose subcontral, por vezes o paciente acaba tendo que realizar uma cirurgia para substituir a articulação e pós fisioterapia a recuperação é suficiente para que se possa levar uma vida normal, nesses casos a aposentadoria por invalidez perde a legitimidade, entretanto, em casos crônicos onde não há solução, a aposentadoria é vitalícia, ou seja, não há riscos de perdê-la.

Para saber mais detalhes, veja como dar entrada na aposentadoria, nesse artigo você encontrará um tópico específico para as justificadas por invalidez e outras informações que servem para qualquer tipo de aposentadoria e que também serão úteis.

Dica para aliviar dores

É necessário que se marque uma consulta médica para boa avaliação e para que se inicie tratamento adequado, entretanto, a esclerose subcondral pode causar dores e para aliviá-las rapidamente é possível:

  • Tomar analgésicos e anti-inflamatórios;
  • Fazer exercícios físicos simples que ajudem a não manter a articulação parada mas também não exijam muito esforço;
  • Fazer massagem suave na articulação com cremes hidratantes ou óleos vegetais como o óleo de amêndoas.

Sugestão: O que é a esclerose óssea - Tipos, sintomas e tratamento

Este artigo é meramente informativo, no umCOMO não temos capacidade de receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Esclerose subcondral - Tratamento e causas, recomendamos que entre na nossa categoria de Doenças e Efeitos Secundários.

Escrever comentário sobre Esclerose subcondral - Tratamento e causas

O que lhe pareceu o artigo?
27 comentários
A sua avaliação:
Ana Luiza Machado
Sou possuidora de esclerose óssea sucondral,caminho diariamente por uma hora,e aconselhável ou tenho que parar?
wilson martins filho
Olá fiz uma ressonância e deu esclerose subcontral tenho artrite reumatoide e gora a anos será que foi isso a causa
SANDRA
O TRATAMENTO COM PRP TIRA AS DORES
A sua avaliação:
SERGIO LUIS PERUSSI CARMELO
a esclerose subicontral coxo femoral da direito a ao auxilio doença e aposentadoria por invalides
Maria Regina dos reis barelare
Fix um radiografia da coluna o resultadof foi dicopatia redução de espaço intervertebral e esclerose subcontral em L5S1
A sua avaliação:
Gilverto dos Santos Costa
Sou portador dessa doenca e tenho tambem hernia de disco cervical lombar e doesal tambem sou portador de diabetes hipertensao e esclerose multipla. E queria saber qual o melhor tratamento.
alvaro
quero saber qual injeção que e bom p/esclerose subcondral
Editor umComo.com.br
Oi, Alvaro. O ideal é que você consulte um médico para que ele te indique o melhor tratamento.
ademir da silva
bom dia diagnostico do meu joelho:artropatia degenerativa tricompartimental por reduçao da interlinha articular osteofitose marginal,esclerose e cistos subcorticais.hipertrofia das espinhas tibiais foi isso que a tomografia deu de resultado ,tem medicação que volta ao normal ou tem fazer cirurgia!
Elizabeth Cesar Batista
minha ressonância magnética do meu joelho deu minima esclerose subcontral posterior do côndilo femoral medial., alterações degenerativa no corno do menisco medial, discreto afilamento do ligamento cruzado anterior, tendinose patelar distal,patela levemente lateralizada, minimo derrame articular e diminuto cisto de baker. Isso só no joelho esquerdo. Estou usando moletas e uma proteção no joelho q tem uma abertura no joelho deixando assim o joelho livre, tudo por indicação médica. Já estou aguardando cirurgia para o ligamento do menisco. Mas enquanto aguardava a cirurgia tomei 4 tombos e como os dois joelhos q ficaram machucados e muito roxo. Fiz nova mente a ressonância magnética dos dois joelhos, pois bem tudo q estava escrito no joelho esquerdo descrevi acima. agora vou passar o q deu no joelho direito ok. Pequena imagem ovolada, com halo esclerótico, localizada na face posterior da medular óssea subcondral do côndito femural medial, de aspécto inespecífico. porém benigno, Incipientes alterações degenerativas no corno posterior do menisco medial, Incipiente tendinose patelar distal, focos de edema na cartilagem patelar, indicativo de condropatia incipiente, minimo derrame articular, diminuto cisto de baker. Isso que está na ressonância do joelho esquerdo, Dr, ou Dra. Eu já sei que vou fazer a cirurgia do ligamento do menisco do joelho esquerdo, mas dentre tudo que passei sobre os dos joelhos vou ter que fazer outro cirurgia no joelho esquerdo. E o joelho direito o que nem estava sendo visto, só fiz pelos tombos que levei, será que também vou ter que fazer algum tipo de cirurgia no joelho direito. Meu ortopedista está marcado para o dia 21 de junho estou muito preocupada com que cuidado vou ter que ter com meus joelhos. O que devo fazer? Vou aguardar seu e-mail com muita expectativa. Atenciosamente Elizabeth. Desde já muito obrigado pelo canal alternativo . Aguardarei com muita anciedade
alvaro pereira teixeira
qual são o remédio contra esclerose subcondral osteofitarias cristais

Esclerose subcondral - Tratamento e causas
Esclerose subcondral - Tratamento e causas

Voltar ao topo da página