menu
Partilhar

Como superar a síndrome do ninho vazio

Como superar a síndrome do ninho vazio

Em um determinado momento das nossas vidas, nos damos conta de que os nossos filhos cresceram, e tomaram a decisão de começar um novo caminho de independência. No entanto, isto faz parte da vida, muitas vezes os pais se sentem abandonados e tristes. A síndrome do ninho vazio faz referência a esta situação, trata-se de um sentimento de solidão gerado pela ida de um ou vários filhos de casa. Esta situação faz com que os pais deixem de se sentir importantes para os seus filhos e se sintam irritados e agoniados. A seguir mostraremos, como superar a síndrome do ninho vazio.

Também lhe pode interessar: Como superar a síndrome de Estocolmo
Passos a seguir:
1

Nova perspectiva da situação. Você deve pensar naqueles aspectos que contribuem com o seu bem-estar. Muitas vezes o relacionamento com os filhos melhora quando eles já não estão em casa. Outro aspecto é o tempo com o que agora você conta para se dedicar a novos projetos.

2

Dê força para o seu companheiro. Quando temos filhos, muitas vezes nosso companheiro fica de lado. Este é o momento de dar força para o seu companheiro e de realizar aquelas atividades que você tinha adiado. Esta é uma nova etapa da vida que você deve desfrutar totalmente.

3

Fale do assunto. Pôr para fora os seus sentimentos é o primeiro passo para melhorar. Às vezes, compartilhar este sentimento com nossos entes queridos nos permite perceber que podemos superar esta situação.

4

Atividades prazerosas. Ao longo da vida as pessoas sempre sentem o desejo de realizar determinadas atividades que lhes dão prazer, mas as exigências diárias, às vezes, fazem com que estas terminem sendo adiadas. Faça uma lista de todas aquelas atividades que você gosta e se prepare para começar a fazê-las.

5

Pratique um esporte. O exercício físico é muito bom para a saúde e ajuda a relaxar. Saia para caminhar todos os dias durante 30 minutos, e você notará como em pouco tempo se sentirá cada vez melhor.

6

Cuidado pessoal. Não se abandone, nem se deixe abandonar. Você deve buscar um cuidado pessoal adequado, hoje você tem tempo para isso. É importante que você volte a adotar o papel de mulher, além do de mãe.

7

Estimule a independência. É importante que seus filhos saibam que podem contar com o seu apoio nesta nova fase. Evite invadir a sua nova casa ou a sua vida com visitas ou telefonemas contínuos. Você deve deixá-los crescer, acompanhá-los e desfrutar com eles esta nova etapa da vida.

8

Adote um animal de estimação. Se você não tem um marido ou namorado com quem compartilhar este momento e sente que a casa está vazia sem seus filhos, pode adotar um animal de estimação. Eles serão uma grande companhia.

9

Melhore a relação com seu filho. À medida que passa o tempo, a relação com seu filho mudará positivamente. A maturidade de ambos fomentará outro tipo de comunicação mais frutífera. Você nunca vai deixar o seu papel de mãe, seus filhos estarão ai para você.

Este artigo é meramente informativo, no umCOMO não temos capacidade de receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como superar a síndrome do ninho vazio, recomendamos que entre na nossa categoria de Saúde Mental.

Conselhos
  • Se predominarem sintomas de tristeza e depressão, consulte um profissional da saúde para que indique o tratamento a ser seguido e determine se realmente você tem a síndrome do ninho vazio.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?
20 comentários
A sua avaliação:
DEISE
TRISTE É MINHAS FILHAS ME TROCAREM PELA MADRASTA,A MAIS NOVA VAI SE CASAR E NAO QUER MINHA PRESENÇA,PQ PREFERE A MADRASTA..E O PAI NÃO QUER MINHA PRESENÇA TBEM,SOFRI MUITO PARA TER MINHAS FILHAS,ELE TINHA AMANTE,E HOJE VIVO SOZINHA,ELAS NEM SE QUER ME LIGAM PRA SABER SE ESTOU VIVA,ISSO JA DURA 16 ANOS..MINHA MEDICA DIZ PARA ESQUECER ELAS..MAS FUI UMA MAE SUPER ATUANTE..E POR CAUSA DO DIVORCIO ELAS SE REVOLTARAM CONTRA MIM..AS DUAS SAO ADULTAS E FORMADAS,MAS O PAI É RICO E EU NAO.....VIVO SOB TORTURA PSICOLOGICA POR ME AMEAÇAREM A TIRAR MINHA PENSAO..NUNCA ESTUDEI POIS NUNCA DEIXARAM..EU SÓ PENSO EM SUICIDIO,MAS É ISSO QUE ELES QUEREM..MAS ESTE GOSTINHO NÃO VOU DAR PRA ELES..SOFRO MUITO..E VIVO SOZINHA COM 2 GATOS E UMA CACHORRINHA ADOTADA..MAS NÃO É A MESMA COISA..ME SINTO REJEITADA..MUITO TRISTE OQUE EU VIVO..TOMO CALMANTES E TENHO SINDROME DO PANICO,MAS ELAS NEM QUEREM SABER...MAS ACREDITO NA LEI DO RETORNO...
Maria Izabel
Meu marido faleceu faz 3 anos, no mesmo ano minha filha se casou. Sou as posentada de repente me deparei sozinha e sem vontade e sem ter o que fazer. Só sinto vontade de dormir e chorar.
Leonor moura dos santos
Boa tarde ,meu filhos foi morar na Austrália,minha vida transformou sinto grande vazio ,um dor no fundo da minha alma não tenho mais alegria ,meu marido não entende minha dor.Isso me deixa mais triste tenho vontade de morrer ,sei que meu filho está bem não consigo viver sem ele ,ele não que mais volta para o Brasil isso eu agradeço os nossos governantes ,por favor alguem pode me ajudar?
Maria Randerly Cunha Feitosa
É verdade , como dói ,você se sente só, mãe , pai já falecidos,você é seu marido idosos,muitas limitações, é duro.
Itamar j. Benedito
dois dos tres filhos casaram.desde entao minha esposa nao dorme bem sente tristeza e com o semblante caido.como compater este problema?ja me falaram que esindrome do ninho vazio.
gilce almeida
hoje é meu primeiro dia que meu filho foi morar sozinho por opção tenho outro filho que provavelmente fara o mesmo eles são amorosos tens seus sonhos , mais mesmo sabendo que essa hora chegaria confesso que me entristeci um pouco, mais procuro mudar esse sentimento é bom ver os filhos encaminhados na vida e um sentimento de dever cumprido e essas dicas para passar essa fase são fabulosas obrigada a mim ajudou muito.
Estela
Minha filha tem 18 anos e foi morar em um apartamento que herdou do pai. Após toda a limpeza do quarto dela - roupas e tudo mais, me dei conta que manter o mobiliário me trouxe tristeza. Como já tinha o plano de transformar o ambiente em uma mini academia, esta ideia tomou mais força. Assim, meus conselhos práticos aos pais cujos filhos saem de casa:1) olhar o lado bom. O filho está indo porque é independente, autônomo, está iniciando uma nova fase na vida. 2) transformar o quarto. Agora o filho é visita. E, caso volte a morar em casa, será outra fase e provavelmente necessitará outro tipo de ambiente (mobiliário, decoração, etc); 3) guardar somente o que é muito importante afetivamente e doar o restante; 4) dar uma nova função ao quarto - mesmo que seja o quarto de hóspedes para o filho, ter uma função no dia a dia de quem fica na casa é muito importante! 5) li uns comentários sobre tristeza profunda - gente! filho é pro mundo! se foi pro mundo é pq vc foi ótima mãe! cuidado com a chantagem emocional! imagina um filho voltar pra casa e limitar suas possibilidades profissionais só para atender uma carência da mãe! Uma mãe não é só uma mãe! É uma pessoa! Deve ter seus interesses, livros, filmes, grupos, viagens... A vida é rica e, com filhos fora de casa, temos mais tempo para nós! finalmente última opinião: 6) Sou da cidade da Kiss, onde 242 jovens morreram. Cada momento de tristeza que tenho, penso nestes 242 pais que vêem o quarto do filho vazio não porque passou no vestibular, mas porque foi morto em uma boate. Então relativizo minha situação e penso que minha filha não está na minha casa, mas está bem, viva, estudando e buscando seu futuro! Celebremos a vida dos filhos! Acho que escrevi demais, mas estava precisando!
Redação umCOMO (Editor/a de umCOMO)
Oi Estela, muito obrigada pelo seu depoimento :)
aninha
Olá estela, li alguns depoimentos de mães se deprimindo ou quase querendo morrer porque o filho saiu de casa porque se casou ou porque passou no vestibular e foi estudar fora, ou melhor porque estão vivendo suas vidas, batalhando uma carreira ou formando uma nova família, quando eu estava quase entrando no perfil dessas "mães" me deparei com seu comentário, meu coração encheu de alegria, e comecei a pensar de forma diferente,você me ajudou muito, era o que eu precisava neste momento pra me sentir viva e deixar fluir meu amor pelo meu filho sem sufoca-lo. Obrigada!!!!!!!
Patrícia Kochenborger Correa
Ainda bem que li seu comentário, pq lendo os anteriores estava ficando mais triste ainda e me controlando para não chorar....Depois de ler o seu,me senti um pouco melhor....
Claudio Santos
Acho que minha mãe sofre dessa síndrome, tudo começou em 1994 quando meu irmão casou e foi morar em outra cidade. Também casei, em 2001, e o problema também me persegue. Já são 21 anos de sofrimento. Tento "ajudar" mas o fato que o problema parece não ter fim. Ela gostaria de morar 3 dias na casa de um e 3 dias na casa do outro. Sei que se depender dela ela não ira procurar tratamento, pois segundo ela "só quer amor, carinho e compreensão". Confesso que não fiquei mais forte com o tempo, pelo contrario vejo minhas filhas crescendo e passando a fazer parte do problema, e para proteger-las penso em me separar, por outro lado também gostaria de ver minha mãe bem, mas não vejo como. Preciso muito de uma orientação.
angela borba ramos
Estou desesperada com a possibilidade do meu filho passar na prova do ENEM e ir estudar longe de mim. Eu era uma pessoa alegre, feliz; hoje sou triste ,choro o tempo todo, não estou conseguindo aceitar que ele vá embora, e, pior, não tenho condições financeiras de procurar umm psicólogo, sei que estou com depressão,, por isso estou buscando ajuda com vocês, o que eu faço?
Cléia
Angela, boa tarde! Existem Faculdades de Psicologia que fazem atendimento... Acho que vc deveria procurar uma ajuda profissional. bjs!!!
Margarida
Nunca gostei de andar de avião.Viajei bastante.De uns anos para cá não tenho mais coragem de voar.Tenho perdido ótimos passeios Meus bisnetos não moram na minha cidade e eu não tenho ido visita-los .............Não sei o que fazer
Redação umCOMO (Editor/a de umCOMO)
Olá Margarida, você tem de tentar perder o medo de andar de avião. Para a ajuda, neste artigo pode encontrar algumas dicas: http://tempolivre.umcomo.com.br/articulo/como-perder-o-medo-de-voar-de-aviao-8075.html Espero que consiga ;)
Aurora
Quando chegamos a uma certa idade, a superacao eh dificil. Ficamos impotentes mediante a varias situacoes. Para mim, que vivi para meus filhos com um amor imensuravel, nao tem quase como superar, embora tenho me esforcado. O que me conforta eh que eles estao bem, vivendo agora o mundo deles, como vivi o meu. Eh o que peco a Deus, todas as noites, protege-los em todos os momentos e iluminar seus caminhos ....mas que a alma doi, chora, sem eles por perto, doiiiii.... eh uma dor, que so quem eh mae, sente e sabe como eh!
Meguinha de SBC, SP
Rosangela, sinto tudo isso que vc sente. como doi!!!! Nao tenho objetivos, embora tento algo, mas...meu intimo nao quer se esforcar...minha vida perdeu o sentido.Tenho 70 anos de idade e posso confirmar: como eh triste a velhice! ...A superacao do ninho vazio nesta altura dos anos, eh muito dificil, so Deus mesmo para nos confortar...que eles, meus filhos, sejam feliZes na graca de Deus, eh o que desejo do amago da minha alma.
Meguinha
Val, , esta eh a situacao que estou vivenciando, Como doi , ne? Parece que nosso coracao nem bate mais! Senti meu ninho vazio, completamente, ha 8 anos atras. Dai, comecou a minha tristeza. Porem, ainda existia um tantinho de felicidade, pois todos moravam proximos a mim...meu ex e meus dois filhos.no mesmo bairro. Agora, de dois anos para ca, meu ex faleceu, e meus dois filhos foram morar mais distante e fiquei so no meu bairro. Sinto tudo isso que voce deixou aqui expresso, Val. Nao tenho mais objetivos, por mais que me esforco, pois sei que meu ninho nunca mais sera reposto...e eles tem que viver a vida deles, ne? Como nos deixamos nossa casa materna para viver a nossa, Esta eh a lei da vida.. Que Deus nos conforte e nos de a superacao.
Ana Paula Teixeira
Me ajudem por favor! Eu não paro de chorar. Levei minha filha ontem embora, vai ficar longe 500 km para estudar e eu não me conformo. estou completamente sozinha. não tenho vontade de mais nada. Um vazio enorme no meu peito. Não estou comendo, não estou dormindo, não consigo me concentrar no trabalho. preciso de um medico mas não tenho condições de pagar, por favor algum profissional pode me ajudar?
SONIA MARIA ALVES PALDO
Eh soh n fikei pior,mesmo doendo na alma qdo meus filhos vao embora p as suas casas ,agora jah penso na hra,aliais jah me preparo antes,sabendo e com a certeza que eles tbm precisam e devem cuidas das suas vidas,pork e se amnha eu jah n estiver aki mais! penso que tipo de pessoas serão mais tarde ou mesmo hj!Mais ainda n parendi a me cuidar melhor ! tenho ainda o meu marido,casamento ,lar casa,animais estimação variosssss ,voluntaria em um azilo,faço trabalho voluntários na csa espirita onde frenquento,mtos amigos (as)mais parece k me falta algo casada ah 36 anos com 53 anos hj,procuro algo k n sei o k eh,n faço exercícios nenhum,leio mto alias adoro ler ateh jornais,mais parece k n faço nda,ah n kero mais fazer domésticos(n k eu deixe de cuidar da limpeza ordem e ingiene da csa)mais isso n me da sensação nenhuma parece k cansei da faxina srrsr,SE PUDER ME PASSE MAIS ORIENTAÇOES SOBRE .obrigada
Kátia
Tenho 37 anos e uma filha de 17, que se mudou para outra cidade ao ser aprovada no vestibular. A criei sozinha e sempre priorizei os estudos dela. Sabia que, ao ser aprovada, havia grandes chances de ela ir mesmo e isso fez mesmo parte das nossas expectativas, minhas e dela. Entretanto, desde então tenho me sentido muito mal, choro todas as noites, preocupada com o que pode estar acontecendo naquela cidade. Fico muito preocupada com situações de risco que podem ocorrer no ambiente universitário. Ao mesmo tempo, estou rompendo um namoro de 8 anos com um homem de 39 que, apesar de morar sozinho há 13 anos, mantém um padrão de relacionamento muito dependente com a própria mãe e com a família de origem. As irmãs dele, quase da idade dele, ainda moram com os pais. Elas, com o tempo, constituíram seus próprios relacionamentos e foram tendo filhos e trazendo namorados para a casa de origem. Inclusive a mãe cedeu o quarto para a caçula com o namorado, quando esta engravidou. O discurso da mãe, no entanto, é: "Filho, você precisa comprar uma casa maior para nós... Naquele bairro que é o meu sonho". E o filho, meu (ex) namorado tinha essa missão. Apesar do projeto/sonho da casa, ele pagava todas as contas que a mãe lhe pedia, a fim de viabilizar a vida das irmãs e de quem a mãe determinasse, como carro zero, escolas privadas, computadores, planos de saúde, mesada, etc. para mãe, irmãs e até para primas. Ou seja, ninguém conseguia guardar dinheiro para a tal casa. Concluí que o que a mãe dele quer é manter a estrutura, o padrão de dependência das pessoas em relação a ela. O filho provê o lado financeiro e, com isso, ela consegue manter a todos debaixo de suas asas. Tudo isso me abalou muito, pois enquanto enfrento a saída da minha filha de casa, ele, por sua vez, ainda se mantém menino, dominado pela mãe.
Katia
Adoraria receber um comentário... :)
Redação umCOMO (Editor/a de umCOMO)
Olá Katia, compreendo que esteja passando por uma situação complicada, mas seja forte e lute por aquilo que quer e acredita e você vai ver que vai conseguir superar tudo isso! Coragem e boa sorte :)
Ana Paula Teixeira
Katia também tenho 37 anos e minha filha passou no vestibular e foi morar longe a 500 km. não consigo dormir, não consigo comer, não consigo me concentrar no trabalho. só choro, dia e noite. e também estou terminando um relacionamento. Mas de muito menos tempo que o seu. Mas peguei bronca dele, porque ele nunca quis te filhos e vejo todas as nossas diferenças agora. estou passando por um momento horrível. estou muito depressiva, não sei como superar isso
rosangela heming
e muito dificil para mim pois criei os meus quatro filhos sozinha me separei eles eram todos pequenos fui mae e pai para eles hoje estao todos moços ja tenho ate uma netinha mas nao consigo entender esse vazio dentro de mim choro muito adoro quando eles veem em casa um brinca com o outro fico tao feliz mais depois cada um vai embora para sua casa mas ainda tenho dois que moram comigo estao noivo e no final d semana eles vao para a casa delas entao fico sozinha nao tenho namorado mais porque nao quero tenho medo de sofrer mas sofro muito pela falta dos meus filhos nao sei como vai ser a hora que os meus dois que estao comigo tambem se forem nao consigo aeitar, mas e a vida.
Redação umCOMO (Editor/a de umCOMO)
Olá Rosangela, compreendo que seja uma situação difícil, mas com o tempo acredito que se vá habituando. Tente arranjar mais hobbies para ocupar o seu tempo livre e não estar sempre pensando nisso. Boa sorte e obrigada pelo seu comentário :)
Amanda
"Comprar" um animal de estimaçao? Que decepçao, pensei que era um artigo com bom senso. Deveriam ter dito "adotar".
Graziela Santolia da Silva
Oi Sara Gostei muito do seu artigo, mas gostaria de citar o item "Compre um animal". Eu trabalho com proteção animal (felinos em especial) e existe uma enormidade de animais carentes precisando de um lar com amor e cuidados. Se você puder pensar a respeito e talvez alterar seu artigo agradeceria. O incentivo ao "adote, um amigo não se compra" é cada vez mais atual.
maria de lourdes
Concordo com vc. Graziela, seria muito inteligente se a mudança fosse feita pela autora do artigo.
Redação umCOMO (Editor/a de umCOMO)
Olá Maria, tem toda a razão a alteração já foi feita! Obrigada pelo comentário e continue a acompanhar-nos :)
Sara Viega
Olá Edivane, muito obrigada pelo seu comentário :) É uma situação difícil, mas força você vai conseguir!
EDIVANE
BOM , É MUITO DIFÍCIL FICAR LONGE DOS FILHOS, MESMO CRESCIDOS , NÓS MÃES; TENHO CERTEZA NUNCA MAIS SEREMOS AS MESMAS , EU SINTO TANTA SAUDADE E CHORO TODOS OS DIAS COM A SUA AUSÊNCIA E PROCURO DA MELHOR FORMA POSSÍVEL SENTIR UM FORÇA E DAR FORÇA TAMBÉM PARA NINGUÉM PERCEBER QUE ISSO ME DEIXA TRISTE!!! AFINAL TODOS NÓS QUEREMOS CRESCER E SER ALGUÉM NA VIDA , ATÉ NOSSOS FILHOS.
Val
Edivane, eu tambem sinto demais..parece que a vida está perdendo o colorido. Meu filho se casou, minha filha ainda mora comigo, mas sinto que a independência dela está cada vez mais perto. Comecei a ter medo da morte, da solidão, de doenças e do futuro. Nao vejo mais graça em viagens, reuniões ou festas. Tambem estou sofrendo e buscando uma saída e lutando contra mim mesma, pois creio quer uma grande insanidade...a vida é muito complicada. Tomara consigamos superar essa fase. Vc nao esta sozinha, vamos lutar contra esse sentimento que nos faz sofrer tanto, afinal, eles , nossos filhos,também tem que viver.
Redação umCOMO (Editor/a de umCOMO)
Olá Val, muito obrigada pelo seu testemunho e boa sorte na sua luta! Obrigada pelo comentário e continue a seguir-nos :)

Como superar a síndrome do ninho vazio
Como superar a síndrome do ninho vazio

Voltar ao topo da página