Partilhar

Sintomas da gravidez ectópica

Por Sara Viega. Atualizado: 16 janeiro 2017
Sintomas da gravidez ectópica

Uma gravidez ectópica ou extra-uterina é aquela que se desenvolve fora do útero da mulher, pois o óvulo fecundado fica alojado em outras partes do corpo, como as trompas de Falópio (o tipo mais comum), no ovário, no colo do útero ou em alguma área do abdômen. Este tipo de gravidez implica um grande risco para a saúde da paciente e, ainda que em muitas ocasiões acabe em um aborto espontâneo, deve ser interrompido o quanto antes para evitar complicações, como pode ser a ruptura de uma das trompas de Falópio. Para saber mais detalhes a respeito desta condição continue lendo este artigo de umComo porque vamos lhe mostrar todos os sintomas da gravidez ectópica, bem como os fatores de risco e as possíveis formas de tratamento.

Também lhe pode interessar: Quais as causas da gravidez ectópica

Como ocorre uma gravidez ectópica

Em uma gravidez normal, quando o óvulo é fecundado, este se move através da trompa de Falópio até chegar ao útero, onde se desenvolve. No entanto, caso a trompa de Falópio esteja danificada ou exista uma obstrução que não permita o movimento normal do óvulo, este pode ficar alojado na trompa e começar ali o seu desenvolvimento, originando assim o que se denomina de gravidez tubária. Este é o tipo de gravidez ectópica mais frequente, ainda que também possa ocorrer em outras partes do corpo, como por exemplo, no colo do útero, em um ovário ou em outra parte do abdômen.

Apesar de todas as mulheres poderem ter uma gravidez ectópica, há determinados fatores de risco que fazem com que umas sejam mais propensas que outras a desenvolvê-la. Estes são os que explicamos de seguida:

  • Ter sido operada às trompas de Falópio ou ter-se submetido à esterilização cirúrgica.
  • Ter defeitos congênitos nas trompas de Falópio.
  • Ter tido uma gravidez ectópica previamente.
  • Se teve endometriose ou doença inflamatória pélvica. Veja nos nossos artigos o que é endometriose e como tratar a doença inflamatória pélvica.
  • Cicatrização a partir de infecções anteriores ou uma cirurgia prévia dos órgãos femininos.
  • Ficar grávida usando o DIU.
  • Ter mais de 35 anos de idade.

Sintomas da gravidez ectópica

No início, os sintomas da gravidez ectópica podem ser confundidos com os de uma gravidez normal que se desenvolve no útero, e é possível que a mulher apresente atraso no período menstrual, cansaço, náuseas e sensibilidade nos seios. Estes sintomas podem variar de uma paciente para outra e também se dão casos nos quais não se manifestam sintomas até que a gravidez ectópica origine a ruptura da trompa de Falópio.

Muitas vezes, este tipo de gravidez diagnostica-se durante a primeira visita pré-natal ou durante um exame de ultrassom, por isso é fundamental ir ao médico o quanto antes caso suspeite que está grávida ou se tiver algum dos sintomas que especificamos a seguir. Deste modo, podemos assinalar que os sintomas da gravidez ectópica podem ser:

  • Dor abdominal ou dor pélvica.
  • Dores lombares.
  • Sangramentos vaginais ou perdas de sangue anormais.
  • Mal-estar generalizado.
  • Caso exista ruptura da trompa, podem ocorrer sintomas como dor no ombro, dor aguda no abdômen, pressão no reto, palidez, suores, pulso debilitado, enjoos e/ou desmaios.

É importante ir às urgências ou contatar um centro hospitalar se tiver os sinais descritos que poderiam indicar rompimento da trompa de Falópio, pois a intervenção médica imediata será essencial para garantir a boa saúde da paciente.

Sintomas da gravidez ectópica - Sintomas da gravidez ectópica

Como se trata uma gravidez ectópica

Uma gravidez ectópica pode chegar a ser muito perigosa para a saúde da mulher e, por isso, não pode continuar até ao nascimento e deve ser interrompida o quanto antes.

O médico decidirá a forma de tratamento com base nas particularidades de cada caso, mas se não ocorreu uma ruptura da trompa de Falópio, esta pode consistir na administração de medicamentos ou em uma intervenção cirúrgica:

  • Medicamento metotrexato: injeta-se este fármaco para que chegue ao embrião através do sangue e impeça o crescimento das células da placenta. Costuma ser administrado se a mulher se encontrar estável e o embrião for pequeno.
  • Naqueles casos em que não é possível a administração deste medicamento, as dores são muito intensas ou existem hemorragias internas, será necessária a intervenção cirúrgica. Quando o embrião é pequeno e a mulher apresenta um quadro favorável, pode-se recorrer à denominada cirurgia laparoscópica para extrair o embrião. Não obstante, se a trompa ficou muito danificada e as hemorragias são muito fortes, é possível que o médico considere a remoção da trompa afetada.
Sintomas da gravidez ectópica - Como se trata uma gravidez ectópica

Prognóstico no caso de gravidez ectópica

As mulheres que sofreram uma gravidez ectópica podem ter um bebê mais para a frente, ainda que corram um maior risco de voltar a ter uma gravidez extra-uterina que aquelas que não as tiveram anteriormente. No entanto, isto dependerá de cada caso e, sobretudo, do estado no qual se encontrem as trompas de Falópio, pois se ficaram danificadas ou se teve que extrair uma delas, as possibilidades de ficar grávida serão reduzidas consideravelmente.

Há diferentes tratamentos possíveis para aquelas mulheres que tiveram uma gravidez extra-uterina e que desejam tentar conceber um filho, assim, aconselhamos que você consulte o seu médico para se informar sobre eles.

Sintomas da gravidez ectópica - Prognóstico no caso de gravidez ectópica

Este artigo é meramente informativo, no umCOMO não temos capacidade de receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Sintomas da gravidez ectópica, recomendamos que entre na nossa categoria de Saúde Familiar.

Escrever comentário sobre Sintomas da gravidez ectópica

O que lhe pareceu o artigo?

Sintomas da gravidez ectópica
1 de 4
Sintomas da gravidez ectópica

Voltar ao topo da página